Índia começa campanha para vacinar um Brasil e meio até agosto

Na primeira fase da campanha de vacinação, serão imunizados 330 milhões de indianos, entre profissionais da saúde e pessoas dos grupos de risco

O governo da Índia deu início neste final de semana ao que provavelmente é o maior programa de vacinação anti-coronavírus do mundo.

Em um mundo que muda cada vez mais rápido, como tomar as melhores decisões de investimento? Leia as análises da EXAME Research.

Abrigando as maiores fábricas de vacina do mundo, o país planeja vacinar 330 milhões de habitantes – praticamente uma vez e meia a população do Brasil –  até agosto. O país asiático tem 1,4 bilhão de habitantes.

A primeira fase da campanha está começando com 30 milhões de profissionais da saúde, que atuam na linha de frente da batalha contra a infecção covid-19. Depois, vêm 270 milhões de pessoas com idade acima de 50 anos e comorbidades que as deixa mais suscetível ao vírus.

O país deu autorização emergencial para duas vacinas: a desenvolvida pela Universidade de Oxford com a farmacêutica AstraZeneca e a criada pela empresa indiana Bharat Biotech. Esta tem sido alvo de desconfiança de especialistas por não ter apresentado dados suficientes para comprovar a sua eficácia.

O primeiro ministro, Narenda Modi, e o Ministério da Saúde têm garantido que o imunizante é eficaz e pedido à população que não acredite em quem fala o contrário. Os críticos acusam o governo de populismo por acelerar a aprovação sem que a vacina tenha atendido a todos os requisitos científicos.

Esforço mundial

No mundo, 38 milhões de pessoas já foram vacinadas. A maioria vive em países desenvolvidos, como Estados Unidos e Israel. O Brasil faz parte do grupo dos mais atrasados, que inclui México e Irã. A Índia é o segundo país com o maior número de casos, 10,5 milhões, atrás dos Estados Unidos, que registraram 23,4 milhões, e do Brasil, com 8,3 milhões.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.