EUA aprovam venda de novo teste para diagnosticar retardo mental

Apenas uma amostra de sangue permite analisar a totalidade do genoma

A agência americana reguladora de alimentos e medicamentos, FDA, aprovou nesta sexta-feira a comercialização de um novo teste pós-natal para ajudar a diagnosticar retardos mentais em crianças.

O teste, denominado CytoScan Dx Assay, e desenvolvido pela empresa californiana Affymetrix Inc., pode detectar variações de cromossomos potencialmente responsáveis pelo retardo mental ou pela deficiência intelectual de uma criança.

A partir de uma amostra de sangue, este teste permite analisar a totalidade do genoma e detectar mudanças importantes nos cromossomos que contêm os genes.

Muitas deficiências mentais e atrasos no desenvolvimento, como a trissomia 21, a síndrome de Down e a síndrome DiGeorges, estão associados a estas mudanças.

De 2% a 3% das crianças nos Estados Unidos sofrem de diferentes formas de retardo mental e problemas de desenvolvimento, segundo os Institutos Nacionais de Saúde (NIH) e a Academia Americana de Pediatria (AAP).

“Esta nova ferramenta de diagnóstico ajudará a identificar uma causa possível de retardo mental ou deficiência intelectual, permitindo a médicos e pais responder com atenção e apoio adequados à criança afetada”, disse Alberto Gutiérrez, funcionário do Centro de Saúde Radiológica da FDA.

Uma comparação dos resultados deste teste, realizado com 960 amostras de sangue, mostrou que o CytoScan Dx produzia resultados melhores do que os testes de uso comum para detectar certas anomalias cromossômicas.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.