• AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,48 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,74 1.38
  • AERI3 R$ 4,36 16.27
  • AESB3 R$ 10,75 1.03
  • AGRO3 R$ 31,80 -0.81
  • ALPA4 R$ 21,67 -0.60
  • ALSO3 R$ 19,99 1.52
  • ALUP11 R$ 26,38 0.50
  • AMAR3 R$ 2,39 7.17
  • AMBP3 R$ 29,54 -0.71
  • AMER3 R$ 23,65 2.60
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,57 3.53
  • ARZZ3 R$ 82,77 0.34
  • ASAI3 R$ 15,44 -0.26
  • AZUL4 R$ 21,24 2.71
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,48 -0.36
  • ABEV3 R$ 14,74 1.38
  • AERI3 R$ 4,36 16.27
  • AESB3 R$ 10,75 1.03
  • AGRO3 R$ 31,80 -0.81
  • ALPA4 R$ 21,67 -0.60
  • ALSO3 R$ 19,99 1.52
  • ALUP11 R$ 26,38 0.50
  • AMAR3 R$ 2,39 7.17
  • AMBP3 R$ 29,54 -0.71
  • AMER3 R$ 23,65 2.60
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,57 3.53
  • ARZZ3 R$ 82,77 0.34
  • ASAI3 R$ 15,44 -0.26
  • AZUL4 R$ 21,24 2.71
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

Estudo sugere que coronavírus sobrevive em ambientes por até três dias

A pesquisa avaliou a sobrevivência do vírus fora do corpo humano
 (Getty Images/dowell)
(Getty Images/dowell)
Por Lucas AgrelaPublicado em 13/03/2020 11:57 | Última atualização em 13/03/2020 12:58Tempo de Leitura: 3 min de leitura

São Paulo – O novo coronavírus da China (Covid-19) pode sobreviver fora do organismo humano por várias horas ou até três dias em determinadas superfícies. Essa é a conclusão de um estudo feito pelo Instituto Nacional de Saúde, agência do governo dos Estados Unidos.

O vírus pode sobreviver por mais tempo em plástico ou aço inoxidável, chegando a dois ou três dias de sobrevida. No ar, ele pode permanecer por 3 horas. Em cobre, resiste por 4 horas. Em papelão, por 24 horas.

Com base na tese dos cientistas, uma pessoa pode contrair o Covid-19 apenas por compartilhar o ambiente com uma pessoa infectada — mesmo que horas mais tarde.

O estudo, porém, não é conclusivo quanto à contaminação do novo coronavírus pelo ar.

Relevância científica

Dado o curto prazo de existência do Covid-19, apesar dos esforços globais da comunidade científica, muitos estudos a respeito do novo vírus ainda são preliminares — e esse novo do Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos não é exceção.

A pesquisa ainda carece de análise da comunidade, ainda que conte com a credibilidade de uma entidade de saúde pública governamental. Com isso, o estudo ainda não pode ser levado em conta como guia para a prática clínica.

Como o coronavírus entra no organismo

Em um estudo científico publicado na revista Science em caráter extraordinário, pesquisadores do Instituto para Estudos Avançados de Hangzhou, da Universidade Westlake de Hangzhou e da Universidade de Pequim, analisaram o contágio do Covid-19 no corpo humano.

A descoberta foi que o vírus se liga a uma proteína presente na membrana celular do organismo humano. Com isso, os cientistas abrem caminho para uma pesquisa de novas drogas que agem para conter o contágio do coronavírus. Agora, a expectativa é que a comunidade científica consiga definir a estrutura completa dessa proteína para que, assim, as pesquisas avancem mais.

Apesar de já haver algumas possíveis vacinas para o Covid-19, ainda falta cerca de um ano para que estejam efetivamente prontas para aplicação em ampla escala na população mundial.

A economia e o coronavírus

Como mostra a reportagem de capa da Revista EXAME desta quinzena, a OCDE, clube dos países ricos, lançou um relatório que projeta que o impacto mundial do coronavírus deve devorar de 0,5 a 1,5 ponto percentual do PIB global. Trata-se de um valor de 500 bilhões a 1,4 trilhão de dólares em geração de riqueza que simplesmente deixará de existir por causa do Covid-19.