Acompanhe:

Estudo revela que pílula é 100% efetiva contra o HIV

A pesquisa analisou mais de 650 homens gays ou bissexuais que utilizam o medicamento Truvada para se proteger contra o vírus da AIDS

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Truvada: o medicamento foi aprovado em 2012 pela FDA
 (©AFP/Getty Images/File / Justin Sullivan)

Truvada: o medicamento foi aprovado em 2012 pela FDA (©AFP/Getty Images/File / Justin Sullivan)

M
Marina Demartini

Publicado em 8 de setembro de 2015 às, 17h32.

São Paulo – Cientistas revelaram que a pílula Truvada, um antirretroviral utilizado para usuários se protegerem do HIV, pode ser a nova “vacina” contra a doença.

Os pesquisadores da empresa de seguros Kaiser Permanente, nos EUA, observaram 657 homens gays ou bissexuais que tomavam o remédio há dois anos e meio.

Segundo o estudo, todos os pacientes tinham altas taxas de infecções sexualmente transmissíveis. Além disso, muitos deles utilizaram drogas injetáveis ou diminuíram o uso do preservativo durante o tratamento.

Mesmo assim, de acordo com a pesquisa, não houve novas infecções pelo HIV entre os participantes deste grupo. No entanto, eles contraíram outras doenças sexualmente transmissíveis, como clamídia, gonorreia e sífilis.

“Este é um dado muito reconfortante”, disse Jonathan E. Volk, autor do estudo, ao New York Times. "Ele afirma que a pílula funciona mesmo em uma população de alto risco”.

Vale ressaltar que pesquisas observacionais como esta não são consideradas cientificamente rigorosas. Ensaios clínicos em que participantes recebem placebo aleatoriamente são mais conclusivos.

Além disso, o estudo não fez exames de sangue nos pacientes para se certificar de que eles estavam tomando a Truvada regularmente. Afinal, ela é altamente eficaz na prevenção da infecção apenas quando os participantes tomam todas ou a maioria das capsulas diárias.

Truvada

A Truvada é conhecida como uma profilaxia pré-exposição ao HIV. Ela foi aprovada pela Food and Drugs Administration (FDA), órgão semelhante à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), em 2012.

Ela funciona da seguinte forma: quando o indivíduo é exposto ao vírus, dois medicamentos antirretrovirais, chamados de tenofovir e emtricitabina, que estão dentro da pílula, agem para que o HIV não se torne uma infecção permanente.

Apesar de aprovada, a Truvada foi muito criticada pela sociedade. Muitos acreditavam que a pílula poderia dar uma falsa noção de segurança.

Contudo, um estudo publicado em dezembro de 2013 revelou que, na realidade, os indivíduos que utilizam o medicamento têm a tendência de praticarem sexo seguro.

Últimas Notícias

Ver mais
Telescópio James Webb pode ter descoberto mistério de supernova de 1987
Ciência

Telescópio James Webb pode ter descoberto mistério de supernova de 1987

Há 22 horas

Qual é a origem da Lua? Agência espacial do Japão diz ter pistas
Ciência

Qual é a origem da Lua? Agência espacial do Japão diz ter pistas

Há um dia

Empresa dos EUA consegue levar sonda à superfície da Lua após 52 anos
Ciência

Empresa dos EUA consegue levar sonda à superfície da Lua após 52 anos

Há um dia

12 anos da missão Juno: veja imagens impressionantes de Júpiter capturadas pela Nasa
Ciência

12 anos da missão Juno: veja imagens impressionantes de Júpiter capturadas pela Nasa

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais