• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Estresse e depressão: os efeitos psicológicos da covid-19 em gestantes

Pesquisa realizada pela Universidade de Granada ressalta a necessidade do acompanhamento psicológico para as gestantes
Gravidez na pandemia: risco de maior estresse e quadros de depressão (Getty Images/Guido Mieth)
Gravidez na pandemia: risco de maior estresse e quadros de depressão (Getty Images/Guido Mieth)
Por Rodrigo LoureiroPublicado em 18/02/2021 11:33 | Última atualização em 18/02/2021 11:33Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Um estudo recente realizado pela Universidade de Granada (UGR) revelou que a covid-19 aumentou a incidência de efeitos psicológicos relacionados com estresse e depressão em mulheres grávidas, infectadas ou não com o vírus. Uma das maiores preocupações é de que a doença possa ser transmitida para o feto.

A pesquisa completa foi publicada na revista científica Medicina Clínica e foi feita com 131 mulheres que já estavam ou engravidaram durante a pandemia do novo coronavírus. Vale lembrar ainda que outra pesquisa, esta publicada no International Journal of Gynecology and Obstetrics, apontava que 15% das mulheres que tiveram filhos apresentaram quadros de depressão e estresse no período pós-parto.

A explicação é de que variáveis psicológicas estão contribuindo para um aumento da ansiedade e de quadros de depressão mais severos nas gestantes durante a pandemia do coronavírus. São receios relacionados com a própria gravidez e medo de ser infectada com o vírus. Sintomas como insônia e solidão também foram percebidos.

A pandemia “afetou principalmente as mulheres grávidas, que têm experimentado um crescente sentimento de medo sobre a possibilidade de infecção devido à potencial transmissão ao feto”, conforme afirmou Borja Romero González, autora do estudo e pesquisadora da UGR.

O estudo levou em consideração fatores como o tipo de moradia em que as mulheres passaram a maior parte da gestação, a dieta feita no período e até a frequência de chamadas de vídeo realizadas com amigos e parentes. Mesmo assim, as variáveis psicológicas foram mais determinantes para o agravamento dos quadros de ansiedade e depressão do que questões sociais e comportamentais.

Por este motivo, a recomendação dos pesquisadores é de que seja considerado com mais firmeza o acompanhamento psicológico para mulheres grávidas durante a pandemia. Os cientistas acreditam que isso pode ajudar atenuar as causas que levam aos problemas de ansiedade e depressão.