A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Dormir pouco faz mal ao cérebro, diz estudo

As consequências de dormir pouco, segundo a pesquisa da Universidade de Pequim, podem ser irreversíveis

São Paulo - Acha uma boa ideia ficar acordado até tarde da noite? Melhor repensar: dormir pouco pode degenerar ou até destruir alguns neurônios.

Foi o que aconteceu com ratos testados por cientistas da Universidade de Pequim.

Eles impediram os animais de dormir mais do que cinco horas diariamente.

Depois de três dias, o nível de neurônios em uma região conhecida como lócus cerúleo diminuiu 25%.

É essa a área responsável por ligar o modo atenção e alerta – tem relação também com a memória e o aprendizado.

E as consequências, segundo a pesquisa, podem ser irreversíveis.

“Isso aconteceu com um animal simples, mas sugere que deveremos analisar essa questão cuidadosamente também em humanos”, explica Sigrid Veasey, uma das autoras do estudo.

Melhor não arriscar, afinal, dormir bastante não é uma tarefa nada difícil.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também