Coreia do Norte celebrará 70º aniversário sem foguete

O representante do governo do Seul previu que os eventos de comemoração na Coreia do Norte serão "maciços", incluindo um desfile militar em Pyongyang

Seul - A Coreia do Norte celebrará no próximo sábado o 70º aniversário do Partido dos Trabalhadores com um grande desfile militar, mas o lançamento de um foguete de longo alcance está praticamente descartado, indicaram nesta terça-feira especialistas e membros do governo da Coreia do Sul.

O anunciado lançamento não ocorrerá "antes ou durante o dia 10 (sábado)", afirmou à Agência Efe um representante do Ministério da Unificação da Coreia do Sul, após explicar que, até então, não foram detectados indícios suficientes para comprovar que o regime de Kim Jong-un disparará o foguete.

O representante do governo do Seul previu, no entanto, que os eventos de comemoração na Coreia do Norte serão "maciços", incluindo um desfile militar em Pyongyang e até grandes jogos entre a população.

A imprensa estatal norte-coreana enfatizou nas últimas semanas a importância da festa neste ano, que deve contar com uma grande participação de jornalistas e visitantes estrangeiros na capital.

A expectativa é que o regime de Kim mostre os últimos avanços norte-coreanos em tecnologia armamentista no desfile, como novos mísseis e plataformas de lançamento. No entanto, o governo local não antecipou nenhum detalhe sobre o evento.

A Coreia do Norte anunciou em setembro que prepara um próximo lançamento de um satélite espacial a bordo de um foguete de longo alcance. Por isso, esperava-se que isso ocorresse na véspera do aniversário do único partido existente no país.

No entanto, com a passagem dos dias, os analistas foram descartando a possibilidade ao não detectarem preparativos através de imagens tiradas por satélites na base de Sohae, no noroeste do país.

Além disso, a Coreia do Norte não informou a Organização Internacional (IMO) e a Organização Internacional de Aviação Civil (ICAO) sobre o lançamento.

Joel Wit, editor do site americano "38 North", especializado na Coreia do Norte", chegou a classificar como "especulações sem nenhuma base" as informações que indicam um iminente lançamento do foguete de longo alcance, conforme divulgou hoje a agência sul-coreana "Yonhap".

O pesquisador da Universidade John Hopkins disse, no entanto, que Pyongyang poderia estar trabalhando em uma versão mais potente que o Unha-3, foguete com o qual pôs pela primeira vez em órbita um satélite em dezembro de 2012.

A ação provocou um endurecimento das sanções econômicas impostas pelo Conselho de Segurança da ONU à Coreia do Norte, por considerar o lançamento do foguete encobria um teste de um míssil balístico intercontinental.

A Coreia do Sul e Estados Unidos alertaram que tomarão novas medidas em caso de um novo lançamento. Já a China, principal aliado da Coreia do Norte, também se mostrou contrariada com as intenções do regime de King Jong-un.

O governo de Seul também descartou um possível teste nuclear de Pyongyang por causa do 70º aniversário e prevê que no sábado não serão anunciadas mudanças importantes nas políticas da Coreia do Norte, conforme o funcionário do Ministério da Unificação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.