Farmacêutica Regeneron diz que coquetel de anticorpos previne covid-19

Nesta terça-feira, 26, a companhia divulgou que o REGEN-COV conseguiu reduzir em 100% as infecções sintomáticas causadas pelo vírus

O coquetel de anticorpos da farmacêutica americana Regeneron se mostrou eficaz na prevenção de infecções causadas pelo novo coronavírus em testes clínicos avançados. Nesta terça-feira, 26, a companhia divulgou que o REGEN-COV conseguiu reduzir em 100% as infecções sintomáticas e diminuiu em até 50% as taxas totais de transmissão da doença. Para chegar a essa conclusão, a pesquisa analisou 400 voluntários que viviam com pessoas infectadas pela covid-19.

A companhia afirmou que vai pedir uma expansão a autorização emergencial do uso do medicamento para os reguladores de saúde dos Estados Unidos e que dados completos dos testes devem ser divulgados no segundo trimestre deste ano. Por enquanto, o uso do coquetel é voltado somente para casos leves e moderados em adultos e crianças.

"Esses dados usando a REGEN-COV como uma vacina passiva sugerem que ele pode reduzir a transmissão do vírus, bem como diminuir o fardo viral naqueles que forem infectados", afirmou o presidente da companhia, George Yancopoulos, em um comunicado publicado no site oficial da empresa.

A medicação serve como "vacina passiva" por entregar os anticorpos já prontos ao organismo, enquanto as vacinas induzem uma resposta imune no organismo humano.

A Renegeron afirmou que uma morte e uma internação por conta do SARS-CoV-2 foram relatadas durante os testes. Ambas as pessoas faziam parte do grupo de placebo, ou seja, não receberam o coquetel de medicamentos e incidentes não aconteceram no grupo de tratamento.

Na semana passada, a também americana Eli Lilly afirmou que sua droga baseada em anticorpos, a bamlanivimab, cortou o risco de uma infecção por covid-19 em até 80% em residentes e funcionários de casas de repouso.

Assim como o bamlanivimab, o REGEN-COV é um anticorpo que visa neutralizar a proteína spike da covid-19 (ou espícula), responsável pela entrada do vírus na célula humana ao se acoplar no receptor da enzima conversora da angiotensina 2, ou ECA2.

A medicação pertence a uma categoria na medicina conhecida como anticorpos monoclonais, ou mAb, que são anticorpos criados em laboratório e imitam a função dos originais que o sistema imunológico das pessoas produzem para evitar outras doenças causadas por vírus.

 

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

 

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.