Comprar máscaras de qualidade online continua sendo um desafio

Nos Estados Unidos, assim como no Brasil, é complexo adquirir boas máscaras, que protegem contra a covid-19, na internet

 

Depois de um ano de pandemia do coronavírus, comprar uma máscara médica on-line ainda é completamente enlouquecedor.

A versão mais cobiçada para se proteger da Covid-19 é a N95, o padrão ouro de proteção devido a seu ajuste perfeito e aos 95 por cento de eficiência na filtragem de partículas transmitidas pelo ar. Depois há a KN95 da China, máscara para trabalhadores médicos que também oferece alta filtragem, mas que é um pouco mais folgada.

Mas comprar essas máscaras on-line está longe de ser uma tarefa fácil. Com o início da pandemia no ano passado, elas imediatamente escassearam à medida que trabalhadores da saúde e governos corriam para obtê-las. A demanda foi tão intensa que chegou a criar um mercado negro.

No entanto, mesmo depois que a oferta melhorou, ainda é difícil encontrar as N95 e as KN95 autênticas on-line. Isso porque existem poucos fabricantes de marcas, de modo que pode ser complicado saber, entre dezenas de fabricantes, quais deles são confiáveis. E os falsificadores continuam inundando o mercado, mesmo em sites confiáveis como a Amazon.

O resultado é frequentemente frustrante, num momento em que usar uma máscara eficaz é mais importante do que nunca. Recentemente, autoridades federais de saúde americanas enfatizaram a necessidade de que todos usem uma máscara bem ajustada ao rosto por causa das novas variantes do coronavírus, de rápida disseminação.

"As pessoas não sabem o que é legítimo e nem quais fornecedores são legítimos. Temos esse problema desde o início da pandemia", disse Anne Miller, diretora executiva do Project N95, organização sem fins lucrativos que ajuda as pessoas a comprar equipamentos protetores contra o coronavírus.

Recentemente, passei horas procurando máscaras on-line e quase comprei um pacote de falsificações na Amazon. Felizmente, evitei cair na armadilha e acabei encontrando máscaras legítimas e de alta qualidade em uma loja on-line confiável.

Nesse processo, aprendi muito sobre como identificar produtos falsificados e como perceber avaliações simuladas. Portanto, eis aqui como encontrar máscaras médicas verdadeiras que manterão você e seus familiares seguros.

Escolha uma máscara

Minha jornada começou no site do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC, na sigla em inglês). Lá encontrei gráficos de máscaras N95 e KN95 que a agência testou, incluindo o fabricante, o número do modelo e a eficiência de filtragem.

Depois de alguma leitura, descobri as diferenças entre os dois tipos de máscara. A N95 normalmente tem um elástico que se prende na parte de trás da cabeça, que é o que ajuda em seu ajuste. Pode ser desconfortável usá-la por longos períodos.

A KN95, que a FDA (agência americana responsável pelo controle de alimentos e medicamentos) aprovou para uso emergencial por profissionais de saúde, tem elásticos que se prendem nas orelhas para um ajuste firme, que é um pouco mais confortável que o da N95. A desvantagem é que a KN95 deixa sair um pouco mais de ar que a N95.

Se você estiver frequentemente em áreas de alto risco como hospitais, a N95 pode ser mais adequada. Mas, se você só precisa de uma máscara de proteção para um uso mais casual, como uma ida ao supermercado, é provável que a KN95 seja suficiente.

Depois de fazer a pesquisa, decidi que uma máscara KN95 da Powecom, marca chinesa, era a melhor para meus propósitos. A máscara provou ter 99 por cento de eficiência de filtragem nos testes do CDC.

Fui para o site da Amazon, onde compro de tudo, desde ração para cachorro até pilhas. Foi quando as coisas deram errado.

Cuidado com a Amazon

Quando digitei "Powecom KN95" no campo de pesquisa da Amazon, as máscaras apareceram instantaneamente, com uma classificação de quatro estrelas e meia. Rapidamente, cliquei em "Adicionar ao carrinho".

Mas, antes da compra, resolvi ler as avaliações. Havia cerca de 130 – incluindo algumas com uma estrela, escritas por compradores aflitos, advertindo que as máscaras provavelmente eram falsas. Esvaziei meu carrinho de compras.

Como quase comprei uma falsificação? Saoud Khalifah, fundador da Fakespot, empresa que oferece ferramentas para detectar produtos e comentários falsos on-line, me informou que um vendedor terceirizado provavelmente tinha assumido o controle da lista de produtos e vendido falsificações para ganhar dinheiro rápido: "É meio que um Velho Oeste. Os consumidores normais que compram na Amazon não sabem que acabaram de comprar uma máscara falsa. Este é um problema crítico: você acha que é real, e de repente fica doente."

Khalifah apresentou outros exemplos de máscaras questionáveis que estavam sendo vendidas na Amazon:

  • Um pacote de 50 máscaras em destaque no site, mostrado como um novo lançamento de echarpes femininas. Obviamente, uma máscara não é uma echarpe, o que era uma dica de que algo estava errado. A descrição também substituiu todas as letras A por caracteres acentuados. Essa foi uma técnica usada para contornar os sistemas de detecção de fraudes do site, de acordo com Khalifah. A Amazon removeu o item depois que liguei para avisá-la disso.
  • Outro pacote de 20 máscaras parecia atraente e foi descrito como aprovado pelo CDC. Teve até avaliações positivas, com uma média de 4,4 estrelas. Mas as críticas revelaram que a maioria dos clientes havia recebido as máscaras gratuitamente, provavelmente um incentivo para deixar um feedback positivo. Uma crítica morna de alguém que pagou pelo produto observou que as máscaras eram "finas e muito, muito grandes".
  • O software de Khalifah também detectou que os autores das avaliações de outro pacote com cem máscaras, com classificações unânimes de cinco estrelas, tinham um histórico de escrever críticas promocionais para outras marcas.

A Amazon afirmou em comunicado que proíbe a venda de produtos falsificados e investe para garantir que sua política seja seguida. Além disso, divulgou que tem políticas específicas para a máscara N95 e a KN95, incluindo um processo para vetar produtos e tomar medidas contra quem vende falsificações.

A empresa também disse ter resolvido o caso da questionável máscara Powecom que quase comprei, além daquela anunciada como um cachecol. Acrescentou que não havia evidências de que o pacote com 20 máscaras fosse falsificado e não fez comentários sobre o pacote de cem unidades.

Khalifah alertou que as falsificações que viu na Amazon poderiam facilmente estar em sites de outros grandes vendedores, como o Walmart e o eBay, que permitem que vendedores terceirizados enviem produtos. Segundo ele, devo adotar uma abordagem menos tradicional para comprar on-line uma máscara autêntica.

Encomende de uma fonte autorizada

Seguindo esse conselho, continuei minha busca pela máscara Powecom.

Visitei o site do fabricante, que listou etapas para verificar se uma máscara é real. Isso envolvia digitalizar um código de barras no pacote com uma câmera de telefone. Então, fiz uma pesquisa na web pela máscara, que me levou à bonafidemasks.com, loja on-line que exibe documentação afirmando ser distribuidora autorizada de máscaras Powecom nos Estados Unidos.

Foi tranquilizador. Por isso, pedi um pacote de cem unidades por US$ 99. Quando o pacote chegou pelo correio, escaneei os códigos de barras para confirmar sua autenticidade. Eram verdadeiras.

Outro caminho que eu poderia ter tomado seria encomendar máscaras diretamente do fabricante. Fabricantes verificados como DemeTech, em Miami, e Prestige Ameritech, no Texas, vendem a N95 por meio de seus sites.

Mas encomendar diretamente de um fabricante tem seus desafios. Muitas vezes, é preciso comprar uma grande quantidade para reduzir o custo.

E se você só quer comprar algumas para experimentar? O Project N95 de Miller compra máscaras no atacado e as divide para que as pessoas possam comprar lotes menores. "É um processo bem meticuloso", disse ela. Sei disso.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também