Ciência

Cientistas explicam a curiosa foto de um 'urso' na superfície de Marte

Os cientistas responsáveis pelo Experimento Científico de Captação de Imagens de Alta Resolução (HiRISE, na sigla em inglês) processaram as imagens da poderosa câmera que orbita Marte desde 2006

Com uma circunferência de dois quilômetros, o que parece ser o rosto de um urso é avistado por cientistas na superfície de Marte (AFP/AFP Photo)

Com uma circunferência de dois quilômetros, o que parece ser o rosto de um urso é avistado por cientistas na superfície de Marte (AFP/AFP Photo)

A

AFP

Publicado em 31 de janeiro de 2023 às 08h18.

Última atualização em 31 de janeiro de 2023 às 08h18.

Zé Colmeia, Paddington e Ursinho Pooh são ursos que reinam na Terra, mas em Marte eles têm concorrência. O sorridente rosto de um urso apareceu como se tivesse sido esculpido na superfície do planeta diante da câmera do Orbitador de Reconhecimento de Marte (MRO, na sigla em inglês).

Os cientistas responsáveis pelo Experimento Científico de Captação de Imagens de Alta Resolução (HiRISE, na sigla em inglês) processaram as imagens da poderosa câmera que orbita Marte desde 2006 e publicaram a foto que registra o que parece ser o rosto de um ursinho de pelúcia.

"Um urso em Marte?", perguntou a conta do experimento no Twitter, seguida pela explicação.

"Há uma colina com uma estrutura que desabou em forma de V (o focinho), duas crateras (os olhos) e uma fratura em forma de círculo (a cabeça)", esclareceram os cientistas da Universidade de Arizona, responsável pelo sistema.

Cada uma das características na face de dois quilômetros de circunferência tem uma explicação que oferece pistas sobre o quão ativa é a superfície do nosso planeta mais próximo.

"O padrão de fratura circular pode ser devido ao assentamento de depósitos sobre uma cratera de impacto enterrada", disseram os cientistas. "Talvez o nariz seja uma abertura vulcânica ou de lama e o depósito possa ser lava ou fluxos de lama?".

O HiRISE, um dos instrumentos a bordo do MRO, tira fotos superdetalhadas do planeta vermelho e ajuda a mapear a superfície para possíveis missões futuras, sejam com humanos ou robôs.

Durante a última década, a equipe registrou imagens de avalanches em pleno andamento e descobriu fluxos escuros que poderiam ser algum tipo de líquido.

Também encontraram redemoinhos se movendo pela superfície de Marte, bem como uma marca que para muitos parecia o logotipo da frota estelar de "Star Trek".

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Acompanhe tudo sobre:EspaçoMarte

Mais de Ciência

Crise climática pode impactar vida sexual dos insetos, diz estudo

Quais as suplementos devemos evitar nos treinos?

Flora intestinal distinta pode servir para o diagnóstico do Autismo, aponta estudo

Estudo sugere que expectativa de vida humana pode ter alcançado limite

Mais na Exame