Cientista Sasha Shulgin, "Pai do Ecstasy", morre aos 88 anos

Até hoje, grupos de psiquiatras americanos exploram a linha de pesquisa liderada por Sasha nos anos 1970

São Paulo - Morreu na noite de ontem, aos 88 anos, o cientista Alexander "Sasha" Shulgin, pioneiro no estudo de drogas psicodélicas e outros estimulantes para o tratamento de distúrbios psiquiátricos.

Conhecido como o "Pai do Ecstasy", Sasha foi responsável por divulgar o potencial do MDMA – principal componente do Ecstasy – no alívio de sintomas da depressão e distúrbios pós-traumáticos.

Até hoje, grupos de psiquiatras americanos exploram a linha de pesquisa liderada por Sasha nos anos 1970.

De acordo com o Erowid Center, ele faleceu "pacificamente", cercado por amigos e familiares.

Sasha nasceu na Califórnia, e é creditado como responsável pela síntese de mais de 200 drogas psicodélicas.

Seu trabalho está condensado em dois volumes principais, assinados com sua esposa, Ann – PIHKAL: A Chemical Love Story (1991) e TIHKAL: The Continuation (1997).

Nos dois livros, Sasha discorre sobre psicoterapia, política anti-drogas, e a possibilidade de explorar substâncias psicodélicas encontradas na natureza, como o DMT na Ayahuasca – utilizada nos rituais do Santo Daime.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.