• AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
  • AALR3 R$ 19,75 0.00
  • AAPL34 R$ 74,65 1.01
  • ABCB4 R$ 16,47 -0.42
  • ABEV3 R$ 14,75 1.44
  • AERI3 R$ 4,44 18.40
  • AESB3 R$ 10,73 0.85
  • AGRO3 R$ 31,86 -0.62
  • ALPA4 R$ 21,68 -0.55
  • ALSO3 R$ 19,94 1.27
  • ALUP11 R$ 26,32 0.27
  • AMAR3 R$ 2,40 7.62
  • AMBP3 R$ 29,41 -1.14
  • AMER3 R$ 23,70 2.82
  • AMZO34 R$ 73,23 1.29
  • ANIM3 R$ 5,56 3.35
  • ARZZ3 R$ 82,92 0.52
  • ASAI3 R$ 15,36 -0.78
  • AZUL4 R$ 21,17 2.37
  • B3SA3 R$ 11,30 -1.48
  • BBAS3 R$ 35,58 1.34
Abra sua conta no BTG

China está construindo armas espaciais, diz relatório de agência dos EUA

Relatório do Escritório do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) afirma que a China e a Rússia estão trabalhando em mísseis anti-satélite
No geral, o relatório destaca que a China está comprometida em se tornar o líder global em operações e pesquisas no espaço (Getty Images/Getty Images)
No geral, o relatório destaca que a China está comprometida em se tornar o líder global em operações e pesquisas no espaço (Getty Images/Getty Images)
Por Laura PanciniPublicado em 16/04/2021 10:11 | Última atualização em 16/04/2021 10:22Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Maior concorrente espacial dos Estados Unidos, a China está tomando medidas para construir suas próprias armas espaciais. Pelo menos é isso que afirma o Escritório do Diretor de Inteligência Nacional (ODNI) dos EUA, que divulgou um novo relatório de Avaliação de Risco Global na semana passada.

A ODNI é a líder da Comunidade de Inteligência dos Estados Unidos, federação de 17 agências governamentais independentes que trabalham na condução da segurança nacional do país. De acordo com documento divulgado, há um aumento na atividade militar e comercial da China na órbita da Terra.

No geral, o relatório destaca que a China está comprometida em se tornar o líder global em operações e pesquisas no espaço: "A China vai manter sua grande inovação e políticas industriais porque os líderes chineses vêem esta estratégia como necessária para reduzir a dependência de tecnologias estrangeiras, permitir avanços militares e sustentar o crescimento econômico e assim, garantir a sobrevivência do Partido Comunista da China", diz.

A projeção da ODNI é que a China terá uma estação espacial operando na órbita baixa da Terra entre 2022 e 2044, e continuará suas missões exploratórias à Lua. Eles destacam que, em 2019, a Força de Apoio Estratégico chinesa começou a treinar com mísseis anti-satélite, capazes de transformar satélites da órbita baixa em alvos.

O relatório ainda destaca que Pequim já fez lançamentos dos mísseis anti-satélite diretamente da terra, destinados a destruir algum na órbita baixa. Lasers anti-satélite, também usados do solo, também já foram usados, "provavelmente destinados a cegar ou danificar sensores ópticos espaciais sensíveis".

Ao site de notícias Defense News, a diretora da ODNI, Avril Haines, afirma: “Acho que não há dúvida, de modo geral, de que a China está focada em alcançar a liderança no espaço em comparação com os Estados Unidos, e tem trabalhado duro em uma variedade de esforços diferentes nesta área para tentar contestar o que se presume nossa liderança”.

O que preocupa os norte-americanos, analisa o Defense News, é um aumento da militarização espacial por parte da China, criando uma ameaça concreta para o futuro.

O documento da ODNI projeta que a Rússia também está trabalhando em suas próprias armas-anti satélite "destrutivas e naõ destrutivas" e que "continuará sendo um competidor espacial importante". Em março, a Rússia e a China fecharam um acordo para construir uma estação espacial na superfície ou na órbita da Lua.