Arqueólogos acham antigo palácio Maia perto de ponto turístico do México

Os arqueólogos disseram que a descoberta do palácio é só o começo e que novos detalhes devem aparecer com mais tempo de análise
Palácio Maia: habitação deve ter sido usada até o ano 1.050 (INAH - National Institute of Anthropology and History/Handout/Reuters)
Palácio Maia: habitação deve ter sido usada até o ano 1.050 (INAH - National Institute of Anthropology and History/Handout/Reuters)
R
ReutersPublicado em 26/12/2019 às 20:40.

Cidade do México - Arqueólogos descobriram um grande palácio usado pela elite Maia há mais de mil anos na cidade antiga de Kuluba, próxima da estância turística moderna de Cancún, no leste do México, informaram autoridades antropológicas do governo mexicano.

As ruínas do edifício de seis metros de altura, 55 metros de comprimento e 15 metros de largura, sugerem que o palácio foi habitado durante dois longos períodos entre os anos 600 e 1.050 d.C., informou o Instituto Nacional de Antropologia e História (INAH).

A civilização Maia atingiu seu auge entre os anos 250 e 900 d.C., quando comandava grandes áreas do que é hoje o sul do México, Guatemala, Belize e Honduras.

O palácio foi descoberto no leste da zona arqueológica de Kuluba, um sítio pré-ocupação espanhola no estado mexicano de Yucatan.

"Este trabalho é o começo, mal começamos a revelar uma das mais volumosas estruturas no sítio", disse o arqueólogo Alfredo Barrera em vídeo compartilhado pelo INAH.