Anvisa quer liberar a prescrição de substância derivada da maconha

O CBD é uma das mais de 400 substâncias encontradas na Cannabis Sativa, a maconha, e pode se tornar a primeira a ser liberada no país

O representante da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Luiz Klassmann, anunciou que a prescrição da substância canabidiol (CBD) – encontrada na maconha – poderá ser liberada no Brasil em breve. 

O CBD é uma das mais de 400 substâncias encontradas na Cannabis Sativa, a maconha. Por isso, sua comercialização no Brasil é proibida. Mas se tudo der certo, o canabidiol será a primeira substância derivada da maconha a ser liberada no Brasil.

O anúncio aconteceu no 4º Simpósio Internacional da Cannabis Medicinal, da Unifesp, em São Paulo. Durante a abertura do evento, Klassmann afirmou que a área técnica do órgão já aprovou a reclassificação do CBD. Isso significa que a substância será retirada da lista de substâncias ilegais para entrar na lista que permite sua prescrição por médicos com receita normal, em duas vias.

No entanto, essa reclassificação ainda precisa ser aprovada pela diretoria colegiada da Anvisa antes de entrar em vigor. Em nota, a Anvisa afirmou que o tema será debatido e deliberado em reunião pública. O evento está previsto para acontecer no dia 29 de maio.

A declaração da Anvisa aconteceu pouco tempo após a Justiça liberar que Katiele e Norberto Fischer importassem o medicamento com CBD para a filha. A menina Anny sofre com a síndrome CDKL5, uma doença rara e genética que causa epilepsia grave. Os pais tentaram de tudo para tentar amenizar as mais de 80 convulsões por semana da filha. Mas só o CBD ajudou a controlar a doença.

Como o medicamento não tem venda permitida no Brasil, os pais o importavam ilegalmente para tratar as crises convulsivas da filha de 5 anos. Com base na melhora da menina e com o aval dos médicos, a Justiça decidiu liberar a importação do medicamento para o caso da família Fisher. Mas, aparentemente, outras famílias também poderão ganhar esse direito em breve.

*Com informações das agências Brasil e O Globo

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.