A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

4 problemas de saúde causam 64% das internações por covid-19, estima estudo

Obesidade, hipertensão, diabetes e falha cardíaca são os principais agravantes que levam a internações por causa do coronavírus

Um modelo elaborado por pesquisadores da Universidade Tufts, nos Estados Unidos, com adultos internados por covid-19 estimou quais são as causas mais prováveis de hospitalização.

De acordo com o estudo, os principais complicadores que aumentam o risco de internação são obesidade, hipertensão, diabetes e falha cardíaca.

O estudo foi publicado nesta quinta-feira, 25, no Journal of the American Heart Association e parte de uma simulação matemática para estimar a proporção de hospitalizações por covid-19 nos EUA que poderiam ter sido prevenidas caso não houvessem esses fatores de risco.

Combinadas, a ausência dessas condições na população americana teria reduzido a internação em casos de covid-19 em 64%. A obesidade é o fator mais relevante, com 30% das internações atribuídas ao fator de risco.

Segundo o modelo da Tufts, que usa dados de diversos outros estudos já feitos sobre a doença, uma redução de 10% na prevalência desses fatores de risco teria reduzido em 11% todas as internações decorrentes do coronavírus.

Foram analisados 906.849 hospitalizações que aconteceram nos Estados Unidos até novembro de 2020. Em termos epidemiológicos, a proporção descoberta pelos pesquisadores é a margem de hospitalizações que poderia ter sido evitada na ausência desses agravantes.

O modelo também levou a idade em consideração. Por exemplo, cerca de 8% das hospitalizações por covid-19 entre adultos abaixo de 50 anos eram devido a diabetes. Esse percentual salta para 29% para os que têm 65 anos ou mais. A obesidade teve um impacto igualmente negativo nas internações entre todas as idades.

"Médicos deveriam educar os pacientes que possam estar sob risco de covid-19 severa e considerar promover medidas preventivas, como melhoras na dieta e atividade física, a fim de melhorar a saúde cardiometabólica", disse Meghan O'Hearn, uma das autoras do estudo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também