• AALR3 R$ 20,23 0.30
  • AAPL34 R$ 67,49 0.19
  • ABCB4 R$ 16,76 1.45
  • ABEV3 R$ 14,09 0.36
  • AERI3 R$ 3,67 2.80
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,37 0.61
  • ALPA4 R$ 21,86 2.68
  • ALSO3 R$ 19,17 0.89
  • ALUP11 R$ 27,02 -0.18
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,29 3.86
  • AMER3 R$ 21,90 0.05
  • AMZO34 R$ 3,40 4.17
  • ANIM3 R$ 5,54 1.28
  • ARZZ3 R$ 81,73 2.86
  • ASAI3 R$ 15,93 1.34
  • AZUL4 R$ 20,52 2.24
  • B3SA3 R$ 12,27 3.02
  • BBAS3 R$ 37,73 0.43
  • AALR3 R$ 20,23 0.30
  • AAPL34 R$ 67,49 0.19
  • ABCB4 R$ 16,76 1.45
  • ABEV3 R$ 14,09 0.36
  • AERI3 R$ 3,67 2.80
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,37 0.61
  • ALPA4 R$ 21,86 2.68
  • ALSO3 R$ 19,17 0.89
  • ALUP11 R$ 27,02 -0.18
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,29 3.86
  • AMER3 R$ 21,90 0.05
  • AMZO34 R$ 3,40 4.17
  • ANIM3 R$ 5,54 1.28
  • ARZZ3 R$ 81,73 2.86
  • ASAI3 R$ 15,93 1.34
  • AZUL4 R$ 20,52 2.24
  • B3SA3 R$ 12,27 3.02
  • BBAS3 R$ 37,73 0.43
Abra sua conta no BTG

Com lançamento próximo, Facebook muda nome do seu criptoativo para Diem

Moeda, que será uma stablecoin atrelada ao dólar, será provavelmente lançada em janeiro; nome do grupo à frente do projeto muda para Diem Network
 (Reuters/Dado Ruvic/Ilustração/Foto de arquivo)
(Reuters/Dado Ruvic/Ilustração/Foto de arquivo)
Por Gabriel RubinsteinnPublicado em 01/12/2020 17:00 | Última atualização em 01/12/2020 17:00Tempo de Leitura: 3 min de leitura

A Libra Association, criada pelo Facebook para desenvolver um criptoativo em conjunto com uma série de outras empresas, agora tem outro nome — assim como a moeda digital que possivelmente será lançada em janeiro de 2021. A mudança, para Diem, tem como objetivo desvincular o projeto do Facebook e da antiga Libra para vencer a resistência dos reguladores. Além disso, a o criptoativo que está prestes a ser lançado é bastante diferente daquele inicialmente divulgado.

Diferentemente do projeto original, que previsa uma cesta de moedas fiduciárias e outros ativos dando suporte à Libra, o ativo agora será uma stablecoin — moeda digital estável atrelada a um ativo real — lastreada no dólar. Por isso, a Libra Association foi renomeada para Diem Network, enquanto o ativo em si será chamado Diem Dollar.

“Gostamos da conotação de que representa um novo dia para o projeto”, disse o executivo, sobre o novo nome — Diem significa “dia” em latim. “Queríamos um novo começo”, afirmou.

Desde o lançamento do projeto da Libra, em junho de 2019, autoridades e órgãos reguladores deixaram bastante claras as suas preocupações, principalmente aquelas ligadas à privacidade, lavagem de dinheiro e o risco de grandes empresas, como o Facebook, tirarem poder de bancos centrais. Desde então, parceiros do Facebook no desenvolvimento do criptoativo, como PayPal, Mastercard e Visa, saíram do projeto, que pretendia reunir 100 membros. A nova Diem Network, entretanto, conta com apenas 27 empresas participantes.

Ainda fica confuso com os termos do mercado de criptomoedas e têm dificuldades para entender como funciona esse universo? Conheça a EXAME Research!

Além da mudança no lastro e do uso da blockchain, que agora só será feito após autorização de órgãos reguladores, outros detalhes do projeto também podem ter mudado, mas Levey não quis comentar a maioria deles — especial se os investidores da associação vão receber uma moeda especial de governança, conforme previsto no plano anterior.

Com as ambições reduzidas, o apelo deo projeto também diminui consideravelmente, já que existem atualmente diversas stablecoins lastreadas no dólar no mercado, algumas bastante grandes e já consolidadas, como o Tether (USDT) e o USD Coin (USDC).

Com mais de 2 bilhões de usuários, no entanto, o Facebook, junto com o consórcio de empresas, tem força para persuadir usuários à Diem, mas as medidas para se distanciar do projeto não são novidade — em maio, renomeou a carteira em blockchain Calibra, que seria desenvolvida para custodiar a Libra, para Novi.

A Diem Network aguarda a emissão da licença de reguladores suíços para o lançamento do Diem Dollar, explicou Levey. A associação também negocia com reguladores dos EUA, mas não espera uma licença ou aprovação específica deles, afirmou o executivo.

“Acreditamos que as características de design contribuam para um projeto que os reguladores receberão com satisfação”, disse Levey, acrescentando que espera que bancos centrais queiram usar a infraestrutura no futuro para emitir suas próprias moedas digitais — as chamadas CBDCs.