Turistas desesperados para ir à Europa fazem reservas no escuro

Garantir as viagens de verão com passaportes de vacinação foi uma ideia considerada pela União Europeia, depois criticada, e agora novamente analisada

Por um breve período em janeiro, quando a vacinação contra a Covid-19 começou para valer nos Estados Unidos, os telefones das agências de viagens não paravam de tocar com clientes pedindo cotações. A maioria deles apontava para a mesma direção: Europa e, especificamente, para o Mediterrâneo. Então, no final do mês, a janela fechou.

Seu dinheiro está seguro? Aprenda a proteger seu patrimônio

O aumento de casos de Covid e o medo de novas variantes levaram a França a fechar as fronteiras em 29 de janeiro; a Alemanha seguiu o exemplo ao estender o lockdown. Aumentando as esperanças, o Reino Unido anunciou um roteiro para a recuperação em meados de fevereiro; na mesma semana, a Itália pediu restrições mais rigorosas.

Garantir as viagens de verão com passaportes de vacinação foi uma ideia considerada pela União Europeia, depois criticada, e agora novamente analisada. E, embora o governo Biden tenha anunciado que os EUA terão oferta suficiente para vacinar todos os adultos até maio, a campanha de vacinação muito mais lenta da UE prevê 70% dos adultos imunizados apenas no final do verão.

Apesar das notícias negativas, muitos viajantes estão otimistas e apostam em passar o verão do hemisfério norte na Europa. Na pior das hipóteses, vão adiar os planos. Na melhor, serão os primeiros a chegar quando as fronteiras finalmente forem reabertas.

“As pessoas estão apenas arremessando dardos”, diz Paul Tumpowsky, fundador e diretor-presidente de agência de viagens de luxo online Skylark.

Destinos favoritos tradicionais como Positano, Saint-Tropez e até Maiorca podem estar fora do alcance para o verão europeu, já que Itália, França e Espanha parecem adotar uma abordagem mais conservadora para reabrir as fronteiras. Entre eles, a Espanha mostra o maior otimismo: o primeiro-ministro Pedro Sánchez espera permitir viajantes da UE a partir de 21 de junho e abrir o acesso em julho para outros países, reciprocamente.

“Amamos a Itália - é nosso lugar favorito no mundo”, diz Jack Ezon, cuja consultoria de viagens com sede nos EUA, a Embark Beyond, tem como alvo indivíduos de alta renda. “Mas, com base no que estamos ouvindo dos residentes, não tenho certeza se estarão abertos aos americanos neste verão.”

“Também não parece bom para a França ou Espanha”, acrescenta Ezon. Por isso, ele incentiva os clientes a reservarem estadias reembolsáveis em vilas e resorts na Grécia e em Bodrum, na Turquia. Ainda nesta semana, a Grécia anunciou planos para permitir todos os viajantes vacinados a partir de maio; na Turquia, as fronteiras estão abertas desde meados de 2020.

Outro destino promissor é Chipre, que anunciou uma política permitindo a entrada de britânicos vacinados neste verão, além de Portugal, que pode em breve fazer o mesmo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.