Japão decide proibir espectadores durante Olimpíada

A decisão de proibir espectadores durantes as competições ocorre em um momento que o Japão declara um estado de emergência do coronavírus para a capital, que vigorará durante o período dos Jogos para conter uma onda nova de infecções

Os organizadores da Olimpíada de Tóquio decidiram proibir todos os espectadores no evento. Após uma reunião entre membros do Comitê Olimpiádico Internacional (COI) e os responsáveis pelo Comitê Organizador dos Jogos no país, a ministra de estado do Japão responsável pelos Jogos Olímpicos, Tamayo Marukawa, anunciou a mudança à imprensa do país.

A decisão de proibir espectadores durantes as competições ocorre em um momento que o Japão declara um estado de emergência do coronavírus para a capital, que vigorará durante o período dos Jogos para conter uma onda nova de infecções. A Olimpíada ocorrerá de 23 de julho a 8 de agosto, e o estado de emergência estará em vigor até o dia 22 do próximo mês

A proibição de espectadores parece ser mais um duro golpe na já conturbada Olimpíada, adiada em um ano por causa da pandemia de Covid-19. assolada por uma série de contratempos econômicos, como grandes estouros de orçamento, e sanitários, com o aumento das infecções no país.

Especialistas médicos dizem há semanas que não ter espectadores na Olimpíada seria a opção menos arriscada em meio aos temores públicos de que a chegada de milhares de atletas e autoridades desencadeará uma nova onda de infecções.

"Eu, é claro, apoio 'sem espectadores', mas as preocupações não desaparecerão se tivermos um grande evento como os Jogos, assim como férias e a temporada de verão", disse Yuki Furuse, professor da Universidade de Kyoto que trabalha com o grupo de especialistas em coronavírus do governo.

Recentemente, Furuse projetou que os casos novos diários de Tóquio podem aumentar para mil em julho e dois mil em agosto, elevando o risco de hospitais da região da capital ficarem sem leitos.

Todos os que quiserem torcer pelos atletas foram instruídos a aplaudir, ao invés de gritar ou cantar. Patrocinadores estão cancelando ou reduzindo cabines e eventos ligados à Olimpíada, frustrados com as decisões "muito de última hora" dos organizadores, disseram fontes à Reuters.

As conversas marcadas serão comandadas pelo presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que chegou a Tóquio nesta quinta-feira. Entre os outros participantes estão os governos nacional e de Tóquio e dirigentes paralímpicos.

O novo estado de emergência de Tóquio chega no momento em que a cidade anunciou 896 infecções novas nesta quinta-feira, cifra próxima das altas vistas pela última vez em meados de maio.

O Japão não testemunha o tipo de surto explosivo de Covid-19 visto em outras partes, mas acumula mais de 810 mil casos e 14.900 mortes. Por causa da distribuição lenta de vacinas contra Covid-19, só um quarto da população já recebeu ao menos uma dose.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também