Técnico promete manter filosofia ofensiva da Bélgica em jogo com o Brasil

Apesar de reconhecer o favoritismo da equipe brasileira, Martínez demonstrou confiança no rendimento de sua seleção para conseguir chegar às semifinais

Moscou - O técnico Roberto Martínez afirmou nesta quarta-feira que não pensa em mudar a forma da seleção belga atuar, para o jogo que acontecerá daqui dois dias, com a seleção brasileira, pelas quartas de final da Copa do Mundo.

"Não podemos mudar o que somos, e somos uma equipe ofensiva. Tanto o Brasil quanto nós temos a característica de marcar gols e buscar a vitória", afirmou o comandante espanhol.

"A seleção brasileira vai buscar a bola, mas a diferença será o que cada um vai fazer com ela. Para enfrentar o Brasil, precisamos atacar e defender com os 11 jogadores", previu o treinador.

Martínez acredita que enfrentar a equipe de Tite será um desafio para seus jogadores, mas também uma motivação.

"O Brasil é um das equipes favoritas ao título, e isso nos coloca em um papel muito diferente. A partida será um sonho para os jogadores. Eles nasceram para este tipo de confronto. Queremos seguir na competição", avaliou.

Depois de vencer, de virada, o Japão por 3 a 2 nas oitavas de final, a Bélgica chegou às quartas da Copa pela segunda vez consecutiva. Se vencer o Brasil, estará nas semifinais pela primeira vez desde o Mundial do México, em 1986. Segundo Martínez, não é o momento de fazer grandes alterações.

"Precisamos manter a equipe equilibrada. Se tivermos o mesmo pensamento que mantemos contra o Japão, temos grandes chances. Como treinador, tenho muitas opções na equipe. Tenho pensado no esquema. Acima de tudo, estou levando em conta a pressão e as expectativas que colocam em nós", disse.

O técnico espanhol avaliou o elenco dos pentacampeões e falou sobre a ausência do volante Casemiro, suspenso após ter recebido dois cartões amarelos.

"O time brasileiro tem um equilíbrio fantástico. Podem jogar com três ou quatro atacantes. Entram no setor defensivo dos rivais com profundidade. Vão sentir a ausência de Casemiro, mas têm Fernandinho, que é muito experiente", lembrou.

Apesar de reconhecer o favoritismo da equipe brasileira, Martínez demonstrou confiança no rendimento da seleção da Bélgica para conseguir chegar às semifinais.

"Trabalhamos nisto durante anos e estamos tão preparados como podemos. Ganhamos todas as partidas, todos jogaram e marcamos 12 gols. O jogo contra o Japão nos deu mais motivação. Se jogarmos bem, temos muitas chances de nos classificar, mas não há margem para erro. Se você der uma oportunidade ao Brasil, eles a aproveitarão", concluiu.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.