Simon Fuller, criador do Now United: “Brasil é prioridade número 1”

O executivo que criou o American Idols e as Spice Girls falou sobre a criação da banda teen que só no Brasil pode movimentar R$ 450 milhões no varejo

Se você tem mais de 30 anos, é muito provável que nunca tenha ouvido falar do Now United, mas se tiver um adolescente por perto, pergunte sobre. O grupo que reúne 16 integrantes de diferentes nacionalidades está se tornando uma febre. Os “Uniters”, como são chamados os fãs de carteirinha, estão em peso no Brasil. Até mesmo filhos de artistas foram fisgados. Em março, a apresentadora de TV Ticiane Pinheiro realizou o sonho da filha Rafaela, de 10 anos, e levou a menina para conhecer a banda no dia de seu aniversário. Mundo afora, já são mais de 90 milhões de “Uniters” nos streamings de música e mais de 1 bilhão de visualizações no YouTube.

Entre os fãs brasileiros, a favorita é, obviamente, Any Gabielly, que por ser a representante do Brasil no Now United, soma mais de 5 milhões de seguidores no Instagram. Além dela, há outros 15 membros. A mais recente, a libanesa de 18 anos Nour Ardakani, entrou no grupo há menos de um mês. Com integrantes de 17 a 23 anos, o conjunto é formado por membros da Austrália, Canadá, China, Finlândia, Alemanha, Índia, Japão, México, Filipinas, Rússia, Senegal, Coreia do Sul, Reino Unido e Estados Unidos.

O criador do Now United é nada menos que Simon Fuller, um dos executivos da indústria da música mais respeitados do mundo. A empresa de Fuller, a XIX Entertainment, é conhecida por criar formatos de TV de sucesso, como o show de talentos American Idols, parcerias entre marcas de alto valor e por dirigir a carreira de uma notável lista de talentos. Entre os que foram assessorados por Fuller estão as Spice Girls, ABBA, Sir Michael Caine, Annie Lennox, Amy Winehouse, David Beckham & Victoria Beckham.

Simon Fuller: o executivo criou o programa de talentos American Idols e as Spice Girls.

Simon Fuller: o executivo criou o programa de talentos American Idols</em (Instagram/Reprodução)

Em entrevista à EXAME, Fuller contou detalhes de como surgiu a ideia de criar o conjunto musical global e também falou sobre a importância do Brasil para o Now United, que, segundo o executivo, será a prioridade número 1 quando as turnês retornarem. Confira os principais trechos da conversa por e-mail.

De onde surgiu a ideia de formar um grupo musical com jovens de diferentes partes do mundo? 

Ao longo de minha jovem vida, tive o privilégio de morar em muitos países diferentes. Sempre fui influenciado como indivíduo por diferentes culturas. Eu amo a diversidade. Meu primeiro amor é a música, e o poder e a linguagem universal da música tem uma habilidade inata de cruzar fronteiras para influenciar e entreter todas as pessoas. A ideia de criar um grupo pop global que seja relevante e compreensível para todas as pessoas em todos os países foi empolgante para mim e eu simplesmente tinha de fazer isso. A música é um meio inspirador e influente e adoro o fato de que ela pode aproximar as pessoas do mundo todo.

Qual você diria que é o propósito de Now United?

O objetivo principal do Now United é celebrar a paixão pela música e dança e mostrar como as artes podem aproximar o mundo. A música e a dança podem elevar nosso espírito como comunidade global, celebrar nossas semelhanças e nos lembrar que somos todos iguais, não importa de que parte do mundo viemos. Escolher o agora para o United foi um processo intenso. Eu tinha uma equipe de pessoas de todo o mundo procurando e recomendando pessoas talentosas para mim. Viajei por todo o mundo para encontrar candidatos e minha equipe passou muitos meses conhecendo e avaliando membros em potencial. Demorou dois anos para escolher os membros finais do Now United. Estou muito orgulhoso das escolhas que fizemos.

Como você explica o tremendo sucesso no Brasil? Algum plano de trazer o grupo de volta?

Em primeiro lugar, e mais importante, o Brasil valoriza o poder das artes e celebra a alegria da música e da dança mais do que qualquer outro país do mundo. O relacionamento com o Now United foi imediatamente especial. Tivemos a sorte de visitar o Brasil bem no início da jornada do Now United. A conexão foi imediata e poderosa. Esse sucesso inicial foi reconhecido por um de nossos patrocinadores importantes, a Unilever. Eles ficaram entusiasmados com os primeiros resultados e nos convidaram para promover sua marca Rexona. Isso nos permitiu voltar ao Brasil várias vezes, aparecer em muitos programas de TV e construir um relacionamento significativo e profundo com nossos fãs apaixonados e de rápido crescimento. Tivemos orgulho de realizar nossos primeiros shows ao vivo no Brasil, nossa relação com o país é significativa e profunda. Assim que a pandemia permitir, retornaremos imediatamente ao Brasil, é nosso foco e prioridade número 1. Mal podemos esperar para finalmente apresentar as datas que tivemos que adiar no início deste ano.

O que você espera do Now United para os próximos anos?

Estou animado para ver a jornada do Now United continuar a evoluir. Nossa base de fãs está crescendo rapidamente em todo o mundo. Continuamos a adicionar mais membros de novos países e já estamos pensando na próxima geração de membros do Now United que surgirão nos próximos anos para manter a mensagem do Now United jovem e relevante. Nossos fãs apaixonados e incríveis, ‘Uniters’ são tudo para nós. Eles são mais do que fãs, eles são o nosso futuro. Eu posso imaginar um dia em que o mais talentoso dos nossos fãs possa realmente se juntar ao grupo como membros oficiais. Isso seria incrível.

Festa dos licenciamentos 

Desde o início do ano, 14 marcas já compraram licenças para vender produtos com a marca Now United

Desde o início do ano, 14 marcas já compraram licenças para vender produtos com a marca Now United (Festcolor/Reprodução)

Com o sucesso estrondoso entre os adolescentes e pré-adolescentes brasileiros, mesmo na pandemia, os licenciamentos para a produção de itens com a marca Now United está alcançando números colossais por aqui. Segundo David Diesendruck, diretor da Redibra, empresa responsável pelos licenciamentos da banda no Brasil, até o final de 2021, a previsão é que o varejo fature cerca de 450 milhões de reais com os produtos Now United, que vão de decoração de festa até materiais escolares.

“Normalmente, as empresas levam pelo menos um ano entre licenciar uma marca e lançar o produto no mercado. Licenciar 14 marcas em menos de seis meses é extremamente significativo. O número seria ainda maior se todas as marcas que querem a licença fossem aprovadas, mas é necessário um filtro”, diz David.

Em março, a primeira empresa a lançar produtos com a bandeira Now United foi a Festcolor, que estreou uma linha com itens para festas de aniversário. O lançamento foi um dos três maiores em vendas no período de 30 dias na história da empresa. A marca Now United se tornou rapidamente um fenômeno de vendas e é uma das 3 maiores licenças da história da Festcolor, considerando os primeiros 30 dias de vendas, com potencial para se tornar a mais vendida ao final de 90 dias”, diz Vagner de Jesus, proprietário da Festcolor.

Entre roupas, calçados, acessórios, artigos para festa, e materiais escolares, hoje, são 14 as marcas que já lançaram ou se preparam para lançar produtos Now United no mercado brasileiro. A última novidade veio da Riachuelo, que na última semana estreou sua coleção de roupas com direito até mesmo a máscaras faciais com o logo Now United.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.