Por que russos estão lotando estacionamento com carros de luxo na Finlândia?

Porsche, Bentley, Mercedes-Benz são comuns em aeroporto, enquanto europeus criticam aumento de turismo durante a guerra
Carros de luxo com placas russas estão enchendo a garagem do aeroporto de Helsinque (AFP/AFP)
Carros de luxo com placas russas estão enchendo a garagem do aeroporto de Helsinque (AFP/AFP)
A
AFP

Publicado em 23/08/2022 às 11:25.

Última atualização em 24/08/2022 às 12:04.

Carros de luxo como Porsches, Bentleys, Mercedes e outras marcas de prestígio com placa russa inundam o estacionamento do aeroporto de Helsinque, a capital finlandesa — que a invasão russa da Ucrânia transformou em um importante local de trânsito para os turistas russos.

VEJA TAMBÉM

No início da guerra, a União Europeia fechou seu espaço aéreo para aviões russos, forçando os russos que querem viajar para a Europa a cruzar a fronteira ou fazer uma rota indireta viajando em companhias aéreas não ocidentais.

Desde que Moscou eliminou as restrições de viagem ligadas à covid-19 em julho, houve um aumento no número de viajantes russos e um descontentamento crescente na Europa pela autorização de entrada de turistas russos em plena guerra na Ucrânia.

Um passeio rápido pelo estacionamento do aeroporto de Helsinque revela dezenas, se não centenas, de carros de luxo com placa russa, como um novo Mercedes-Benz Classe S e um Porsche 911 Turbo S.

Consultado pela reportagem, o ministro das Relações Exteriores Pekka Haavisto confirma que a Finlândia se tornou "um país de trânsito" para os turistas russos. Devido à crescente insatisfação com o turismo russo em meio à guerra na Ucrânia, a Finlândia anunciou na semana passada que limitaria os vistos de turista russos para 10% do volume atual a partir de 1º de setembro.

Mas os russos "chegam aqui com vistos Schengen emitidos por muitos países diferentes e continuam sua viagem através do aeroporto de Helsinque", explica Haavisto.

Quase dois terços viajam com um visto Schengen emitido por um país como "Hungria, Itália, Áustria, Grécia e Espanha, [que] se encontram entre os principais países emissores todo ano", disse à reportagem Mert Sasioglu, porta-voz dos guardas fronteiriços finlandeses, referindo-se a uma pesquisa realizada por seu coletivo em agosto.

As normas Schengen não permitem que a Finlândia feche sua fronteira a nacionalidades específicas, explica o ministro das Relações Exteriores. Este tipo de sanção pode ser decidida apenas em conjunto pela União Europeia.

"Como a Finlândia e os países bálticos planejam restringir esses vistos, seria bom que os países da União Europeia tomem decisões semelhantes", acrescenta Haavisto, que levantará a proposta na próxima reunião de ministros das Relações Exteriores da UE em 30 de agosto na República Tcheca.

Sua ideia é compartilhada por muitos finlandeses no aeroporto. Enquanto isso, o número de turistas russos que viajam para a Finlândia continua crescendo.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.