Peloton brasileira? ZiYou, do fundador da Netshoes, lança bike conectada

Equipamento de spinning é oferecido por assinatura mensal ou compra e terá capacidade de transmissão de dados e de consumo de conteúdo por meio de app
Startup ZiYou lança no mercado uma bike de spinning conectada à internet, a exemplo da americana Peloton (ZiYou/Divulgação)
Startup ZiYou lança no mercado uma bike de spinning conectada à internet, a exemplo da americana Peloton (ZiYou/Divulgação)
Por Marcelo SakatePublicado em 22/03/2022 17:16 | Última atualização em 23/03/2022 10:07Tempo de Leitura: 6 min de leitura

A prática de atividades físicas conectadas à internet é uma das principais tendências da indústria do esporte nos últimos anos. É um mercado global que tem um crescimento composto (CAGR) de 25% ao ano e que pode chegar a US$ 120 bilhões em 2030 considerando os aplicativos fitness, segundo projeções da Allied Market Research.

No Brasil, praticantes de modalidades como corrida e ciclismo já têm acesso a alguns dos apps e plataformas digitais mais populares do mundo, como Strava, Garmin Connect, Zwift e Wahoo, entre outros.

Uma nova alternativa 100% nacional acaba de chegar ao mercado: é uma bike de spinning conectada à internet, com transmissão de dados, da ZiYou, a startup de aluguel e assinatura de equipamentos fitness lançada há pouco mais de um ano pelo empreendedor Marcio Kumruian, fundador e ex-CEO da Netshoes.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos pra você aproveitar seu tempo livre com qualidade.

A Bike Spinning ZiYou Connect tem planos mensais a partir de R$ 149,90, valor que inclui o equipamento em si com conexão por meio de Bluetooth, a entrega e a retirada na casa do cliente e o acesso a um novo clube virtual com conteúdo para orientar a atividade física, o ZiYou Club, por meio de um app mobile para iOS e Android.

O usuário poderá se conectar também por meio do celular e daí espelhar a tela para uma Smart TV. "A experiência do usuário com a ZiYou será muito melhor com a conexão à internet", disse o empreendedor, que chamou a nova fase da startup de ZiYou 2.0.

Clientes que já são assinantes da ZiYou receberão acesso gratuito ao conteúdo do novo clube virtual. Gradualmente, os equipamentos da startup, incluindo esteiras, estão sendo adaptados para a conexão Bluetooth.

O novo produto remete ao modelo consagrado pela americana Peloton, de bikes conectadas para a prática do exercício de forma interativa, seja com simulações de percursos que podem ser visualizados na TV e outros conteúdos customizados ou com o compartilhamento da atividade com outros usuários por meio do app.

Outra opção será a aquisição da bike conectada por meio dos sites do Magazine Luiza (MGLU3) e da Netshoes por R$ 4.799, com entrega em todo o país. Nesse caso, a semelhança com a Peloton é ainda maior, dado que a companhia americana só trabalha com a venda de suas bikes de spinning -- são cerca de 2,5 milhões de assinaturas do seu plano mais acessado, segundo dados mais recentes. O preço da bike da Peloton parte de US$ 1.495.

A compra do equipamento dará acesso ao ZiYou Club por um ano. A partir daí, o valor mensal será de R$ 19,90 (se não houver reajuste até lá), o mesmo cobrado hoje de quem quiser acessar só o conteúdo.

"É um passo muito importante para nos aproximarmos de um modelo muito diferente do que existe hoje no Brasil: um modelo em que equipamentos e conteúdo estão ligados em um único login e em uma única plataforma, com duas formas de consumo, por mês ou por meio de compra", afirmou o CEO da ZiYou à EXAME.

Em pouco mais de um ano, a ZiYou superou a marca de 10.000 assinantes na Grande São Paulo de equipamentos que incluem também esteiras e outros voltados à musculação e se prepara para uma expansão nacional. A assinatura do ZiYou Club começa nas capitais e, em um momento posterior, será estendida às cidades do interior do país.

"Chegamos ao ponto em que queríamos estar depois de um ano no mercado. Conseguimos validar o modelo, que tinha como primeira proposta o consumo de equipamentos de maneira diferente do que havia", disse Kumruian. A expectativa é que a interação acelere o crescimento do número de usuários.

"As pessoas já entendem os benefícios de investimento de menor valor e de flexibilidade, com a possibilidade de troca de equipamento e de modalidade quando quiserem", disse o empreendedor em referência ao modelo de assinatura da ZiYou, que não tem qualquer carência para a mudança dos equipamentos alugados pelos consumidores.

É um modelo em contraponto à tradicional aquisição, em que o equipamento é de posse do cliente, mas exige um investimento mais elevado e uma negociação por sua conta em caso de desejo de troca ou arrependimento.

Segundo Kumruian, ao lançar a própria bike com conexão Bluetooth, a ZiYou consegue oferecer um produto com relação custo-benefício mais condizente com a realidade socioeconômica do brasileiro e com o diferencial da conectividade, algo quase inexistente no país. O desenvolvimento da tecnologia de integração de hardware com software levou mais de oito meses dentro da própria startup.

"O acesso democrático para mim é importante desde os tempos de Netshoes. O nosso produto é voltado para boa parte da população brasileira, e não apenas para o topo da pirâmide", disse.

Outras diferenças são o modelo flexível por assinatura e o fato reconhecido pelo empreendedor de que, na largada, o nível de produto da Peloton é superior, até considerando que a companhia americana tem uma década de existência.

De nutrição a personal

A conectividade dos equipamentos também permitirá que a ZiYou possa aprender e desenvolver os seus serviços e produtos. "Teremos condições de entender o comportamento dos nossos assinantes, a frequência, de quais tipos de aulas gostam mais etc. São dados que vão nos ajudar a melhorar a plataforma", afirmou o CEO da startup.

"Haverá também muitas possibilidades a partir da conexão, como oferecer consulta com nutricionista ou orientação com personal trainer, para ficar em apenas dois exemplos, para potencializar a prática dos usuários."

Studios para day use

Outra novidade da startup será o lançamento de studios: serão mini-academias com 18 metros quadrados, do tamanho de um contêiner, estrategicamente localizados em prédios de coworking e condomínios empresariais. Cada studio terá dois equipamentos "cardio" e um de musculação, que poderão ser alugados em conjunto para o dia -- o chamado day use -- por R$ 9,90.

"De maneira circular, vamos colocar a ZiYou dentro de locais nos quais será possível se exercitar com valores mais baixos e se a pessoa tiver apenas 30 ou 40 minutos disponíveis. Ou seja, junto com os modelos de assinatura e compra de equipamento, começamos a cobrir o exercício fora da academia, uma prática que alcança cerca da metade da população", definiu Kumruian.