Paramount+ começa a operar no Brasil com mais de 5 mil horas de conteúdo

Serviço de streaming da Paramount, resultado da fusão da CBS, um gigante da TV com estúdio centenário de Hollywood, chega ao Brasil amanhã, 4, com assinatura mensal a partir de R$ 19,90
 (Paramount/Reprodução)
(Paramount/Reprodução)
E
Estadão Conteúdo

Publicado em 03/03/2021 às 13:32.

Última atualização em 03/03/2021 às 14:02.

Pode separar umas horas — e uns reais — porque os lançamentos de serviços de streaming não param. O mais novo integrante da turma é o Paramount+, plataforma da ViacomCBS que chega repaginada ao Brasil e outros 17 países da América Latina nesta quinta, 4.

Seu dinheiro está seguro? Aprenda a proteger seu patrimônio

"Sabemos que o mercado está cheio de opções, mas chegamos com muito conteúdo e um preço convidativo", disse, em entrevista exclusiva ao Estadão, JC Acosta, presidente da ViacomCBS International Studios & Networks America.

Por 19,90 reais, o Paramount+ oferece mais de 5.000 horas de conteúdo, incluindo produções do Showtime como Black Monday, Your Honor, The Good Lord Bird e The Comey Rule, pelas quais Don Cheadle, Bryan Cranston, Ethan Hawke, Brendan Gleeson e Jeff Daniels concorreram ao Globo de Ouro no domingo. Também vão estar disponíveis já na largada Escape at Dannemora, estrelado por Benicio del Toro e que rendeu o Globo de Ouro a Patricia Arquette no ano passado, e Two Weeks to Live, com Maisie Williams. Não faltam também clássicos do catálogo como NCIS, Twin Peaks e Todo Mundo Odeia o Chris, além de filmes como a trilogia O Poderoso Chefão e os cinco primeiros longas Missão: Impossível. Em breve, chegam a quarta temporada de The Handmaid’s Tale e novidades como The First Lady, sobre as primeiras-damas americanas, com Viola Davis e Michelle Pfeiffer.

O Paramount+ é um dos resultados da fusão da CBS, um gigante da TV, com a Paramount, estúdio centenário de Hollywood. Juntas, as empresas investem cerca de 12 bilhões de dólares em conteúdo anualmente. "Percebemos que ao colocarmos todos os ativos juntos seríamos mais fortes, apelando a todos os tipos de público", disse Acosta, referindo-se às duas marcas e também Nick Jr, Nickelodeon, MTV, Showtime e Comedy Central. A ViacomCBS está apostando em três frentes: um serviço gratuito para o público (Pluto TV), que serve para divulgar o conteúdo das marcas do grupo e gera renda por meio de anúncios, a TV paga com os canais oferecidos por assinatura e agora o streaming.

O Paramount+ também vai ter um orçamento robusto para produções originais, que deve saltar de 1 bilhão por ano para 5 bilhões de dólares anuais em 2024, quando planeja ter até 75 milhões de assinantes. A ViacomCBS anunciou uma série de novos investimentos, que incluem uma versão do videogame Halo e uma grande aposta na nostalgia, com a volta de Dexter, Frasier e iCarly, uma refilmagem de O Talentoso Ripley e spin-offs de Star Trek e Bob Esponja. "Num cenário de tanto conteúdo, é uma vantagem ser uma companhia com tanta história e ter tanto conteúdo já reconhecido e amado pelo público. Então por que não trazer isso de volta?", disse Acosta.

Com o streaming, o conteúdo precisa ser global. "As tendências do consumidor se tornaram mais mundiais por causa das plataformas", afirmou Acosta. Todas procuram produções locais nos países onde atuam, e com o Paramount+ não vai ser diferente.

As duas primeiras séries a sair da América Latina são o thriller sobrenatural The Envoys, de Juan José Campanella (O Filho da Noiva e O Segredo dos Seus Olhos), e Cecilia, de Daniel Burman (O Abraço Partido).

O Brasil também vai gerar séries e programas, que serão anunciados em breve. Além de mais produtos da marca Porta dos Fundos, o Paramount+ está procurando adaptações de livros e um documentário, pelo menos.