Casual

Medalhas das Olimpíadas de Tóquio foram feitas de eletrônicos reciclados

Para a confecção das mais de 5 mil medalhas, foram utilizados mais de 78.985 toneladas de materiais coletados descartados no Japão

Olimpíadas: as medalhas são feitas a partir de materiais eletrônicos reciclados. (Tokyo 2020/Reprodução)

Olimpíadas: as medalhas são feitas a partir de materiais eletrônicos reciclados. (Tokyo 2020/Reprodução)

JS

Julia Storch

Publicado em 6 de julho de 2021 às 13h59.

Última atualização em 23 de julho de 2021 às 16h34.

Para além das polêmicas sobre a edição da Olimpíada de Tóquio deste ano, desde 2017 o Japão vem incluindo medidas para sediar os jogos mais sustentáveis. A exemplo, o maior símbolo dado aos vencedores das competições, as medalhas, foram feitas de eletrônicos reciclados.

Enquanto na Olimpíada do Rio, as matérias primas recicladas representaram 30%, segundo o site oficial dos Jogos Olímpicos de Tóquio, entre abril de 2017 e março de 2019, foram coletados mais de 6,21 milhões de aparelhos como celulares, laptops e câmeras digitais. O resultado: cerca de 5 mil medalhas de ouro, prata e bronze.

Das mais de 78.985 toneladas de materiais coletados, foram extraídos mais de 32 quilos de ouro, 3,5 quilos de prata e 2,2 quilos de bronze. Foram mais de Municípios participantes 1.621 municípios participantes, somando 90% dos 1.741 bairros japoneses.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) exige três símbolos nas medalhas: a imagem da deusa grega Nike, os anéis olímpicos e o nome dos Jogos. Para esta edição, foram inscritos na madeira um padrão de desenho diferente, fazendo com que cada medalha seja única. 

Com 8,5 centímetros de diâmetro, o design das medalhas foi escolhido através de um concurso com 400 candidatos. Junichi Kawanishi, o vencedor, quis imprimir a ideia de energia e apoio aos atletas, assim como a importância da sustentabilidade.

As medalhas das Paraolimpíadas, desenvolvidas pelo designer Sakiko Matsumoto, contém a imagem de um leque. O objeto simboliza a união dos competidores independente de suas origens. Para facilitar o reconhecimento das medalhas para os atletas com deficiência visual, foram feitos recortes nas laterais das medalhas (um para ouro, dois para prata e três para bronze).

As medalhas de ouro contém apenas 6 gramas do metal, assim como as de bronze, feitas a partir de uma liga metálica de cobre (95%) e zinco (5%). A medalha de prata é a única composta pelo material descrito.

Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

Acompanhe tudo sobre:JapãoJogos ParalímpicosOlimpíadasSustentabilidadeTóquio

Mais de Casual

Mansão de R$ 19 milhões em SC tem vista de tirar o fôlego; amplie fotos

Secretos, mas nem tanto: conheça bons bares estilo speakeasy em São Paulo

O que a Hering leva para o casamento com o Grupo Azzas 2154

Trem do Pampa: novo passeio no RS oferece paisagens deslumbrantes e degustação de vinho

Mais na Exame