Maradona faz apelo para limpar seu nome na Itália

As dívidas fiscais de Maradona de quase 40 milhões de euros na Itália decorrem de supostos impostos não pagos durante o período em que ele jogou pelo Napoli

Nápoles - Diego Maradona fez nesta terça-feira um apelo verbal para que as autoridades italianas limpem o seu nome em um caso de evasão fiscal e chegou a sugerir um encontro com o presidente do país para resolver o impasse.

"Eu não matei ninguém", disse nesta terça-feira o astro argentino em entrevista coletiva, cercado por seus advogados e guarda-costas. "Eu estou aqui para buscar justiça", completou, durante uma rara visita ao país.

As dívidas fiscais de Maradona de quase 40 milhões de euros (aproximadamente R$ 104 milhões) na Itália decorrem de supostos impostos não pagos durante o período em que ele jogou pelo Napoli entre 1984 e 1991, quando ajudou o clube a conquistar seus únicos dois títulos do Campeonato Italiano.

Maradona disse que os dirigentes do Napoli são os responsáveis pelo problema. "Por que eu tenho que pagar e não eles?", disse. "Eu sou uma vítima, porque eu ganhei muito, mas eu não sabia nada sobre as questões contratuais. Eu estou mostrando o meu rosto, porque eu não matei ninguém. Se o presidente (da Itália Giorgio) Napolitano quer falar comigo, eu vou explicar tudo para ele", acrescentou.

O advogado de Maradona, Angelo Pisani, disse recentemente que seu cliente venceu a disputa. A informação foi negada pela receita federal italiana, afirmando que não "anulou, declarou extinta ou modificou" a dívida do argentino.


Em visitas anteriores à Itália nos últimos anos, a polícia fiscal apreendeu dois relógios Rolex e um brinco de diamante de Maradona, além dos 3 milhões de euros que havia ganho pela participação em um programa de TV de dança.

Em 2010, os planos para uma partida em Nápoles celebrando o aniversário de 50 anos de Maradona tiveram de ser abandonados por causa das ameaças de autoridades fiscais.

O Napoli está atualmente em segundo lugar no Campeonato Italiano, seis pontos atrás da Juventus, e receberá os líderes do torneio na sexta-feira. Maradona tinha um voo previsto para Dubai nesta terça-feira, mas pode voltar a Nápoles para o jogo. O vencedor da Copa do Mundo de 1986 pela Argentina disse que quer retornar para a Itália com seu neto para assistir o Napoli.

"Eu quero que ele veja o que o vovô fez e não para ser lembrado como um desertor, que eu não sou", disse Maradona. "Eu quero acreditar que a justiça existe. Eu quero justiça para que eu possa andar livremente na Itália e em Nápoles".

Maradona acrescentou que ele não está pensando sobre a possibilidade de trabalhar como técnico do Napoli. "O cargo já está ocupado por (Walter) Mazzarri, que está fazendo um grande trabalho".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também