Letícia Bufoni pós-Olimpíada: rolê de Porsche e marca própria de shape

Depois de Tóquio, uma das grandes estrelas do skate brasileiro não tirou férias, mas deu uma pausa nas competições para tocar sua própria marca de shapes com a britânica Sky Brown; Jogos de Paris, em 2024, seguem nos planos
 (Reprodução/Divulgação)
(Reprodução/Divulgação)
Por GabrielJustoPublicado em 11/11/2021 15:06 | Última atualização em 11/11/2021 16:57Tempo de Leitura: 4 min de leitura

No começo deste ano, quando treinava dia e noite para os Jogos Olímpicos de Tóquio, a skatista brasileira Letícia Bufoni acreditava que, após a competição, teria pelo menos alguns meses para se recuperar. Que nada. Mesmo voltando mais cedo para casa, já nas eliminatórias, a atleta não teve nem uma semana de folga.

Nos últimos três meses, deu uma pausa nas competições para se dedicar ao seu canal do YouTube, que deve ser lançado em breve, sua própria marca de shapes - a Monarch Project, em parceria com a também skatista britânica Sky Brown, de apenas 13 anos - e a projetos publicitários, como uma expedição pelo Brasil com o Porsche Taycan Cross Turismo, o novo modelo elétrico da marca no país.

"Esse foi um ano muito corrido, em que eu participei de sete competições incluindo a Olimpíada. Então, neste finalzinho de ano, resolvi focar nesses projetos", contou Bufoni à EXAME. "Como a pandemia deixou muitos projetos pendentes, agora que todo mundo está vacinado, tudo está acontecendo ao mesmo tempo."

À bordo do novo modelo da fabricante alemã, Letícia deu a largada e conduziu a primeira etapa de uma expedição que foi de Foz do Iguaçu, no Paraná - onde ganhou a sua primeira medalha no X-Games -, a Jericoacoara, no Ceará. Na primeira expedição de um carro 100% elétrico no Brasil, o Taycan Cross Turismo, que tem autonomia de 476km, precisou fazer 33 paradas para recarga ao longo dos 26 dias de viagem.

"Parece que você está dirigindo uma nave muito forte, muito potente, mas que não faz barulho nenhum. Tem pouquíssimos botões, tudo é touch", conta a skatista que, amante dos motores, logo reparou em um detalhe muito importante da máquina. "Existe uma função que, quando ativada, solta o ronco do motor nos alto-falantes. Quem está ali dentro tem a sensação de estar dirigindo um mega carro turbo. Isso faz total diferença!"

Morando em Los Angeles, nos EUA, Letícia pontua que, por lá, os carros elétricos já são uma realidade - inclusive com uma boa diversidade de marcas e modelos, o que torna esses modelos muito mais acessíveis.

"Por aqui, é tipo Gol: tem em toda esquina. E como muitas marcas já têm os seus modelos elétricos, você não precisa comprar um super carro da Porsche para ter um carro mais sustentável", disse ela. "Mas o Brasil não está muito para trás, não. Essa expedição serve justamente para mostrar às pessoas que o país já tem toda uma infraestrutura de carregamento, por exemplo, o que faz o elétrico mais viável."

Planos para o futuro

Já de volta aos EUA e trabalhando com afinco nos seus projetos pessoais, Letícia diz que, em 2022, pretende selecionar melhor as competições das quais participará, para evitar desgastes e se preparar com mais calma para o seu próximo sonho, que está logo ali: as Olimpíadas de Paris, em 2024.

"Não só pela desclassificação, mas também por causa da pandemia, eu não tive a experiência olímpica que eu gostaria de viver, com amigos e família por perto, com interações com outras delegações", lembra Letícia. "Mas em 2024 eu quero muito estar em Paris. Vou estar com 31 anos, que seria a idade perfeita para me aposentar das competições em grande estilo."