Jogador rejeita contrato de R$ 2,5 bilhões por ser "muito baixo"

O jogador de beisebol Juan Soto, 23 anos, rejeitou a renovação do acordo com os Washington Nationals. Em resposta, o time o colocou à venda
O jogador de beisebol americano, Juan Soto (Nationals/Exame)
O jogador de beisebol americano, Juan Soto (Nationals/Exame)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 23/07/2022 às 16:01.

O jogador de beisebol Juan Soto, 23 anos, rejeitou um contrato de US$ 440 milhões (cerca de R$ 2,5 bilhões) por ser baixo demais.

"Não, obrigado. Não é o suficiente", declarou Soto quando recebeu a proposta do Washington Nationals, time que o acolheu quando tinha 16 anos e que lhe propôs uma generosa renovação do contrato com duração de 15 anos.

Soto iria receber US$ 29,33 milhões por temporada até 2037.

Essa foi a terceira proposta que o time enviou para Soto, e faria dele o jogador mais bem pago da história do beisebol.

Entretanto, não foi o suficiente para convencê-lo.

Por que recusar um contrato de R$ 2,5 bilhões

Recusar um contrato desse peso parece incrível. Mas por trás desse "não" existe um raciocínio preciso.

Soto, nascido em Santo Domingo em 1998, é uma das estrelas do MLB (Major League Baseball), a liga profissional de beisebol dos EUA.

O salário de US$ 29,33 milhões sazonais no mundo do beisebol americano é alto, mas não tanto quanto pareceria.

Atualmente, outros vinte jogadores profissionais recebem um salário anual mais elevado (sem considerar a duração do contrato).

Além disso, ao assinar a renovação, Soto teria se trancado em uma espécie de "gaiola de ouro": ao se comprometer até os 38 anos, não teria como aumentar seus rendimentos se melhorasse ainda mais suas prestações esportivas.

Na NBA, a liga profissional de basquete, não menos rica e seguida que a MLB, o jogador Steph Curry ganha quase US$ 50 milhões por temporada. E, assim como ele, pelo menos 4-5 outros jogadores.

Salários astronômicos que continuam subindo ao longo do tempo. E essa lógica vale tanto para o basquete quanto para o beisebol.

A resposta do Washington Nationals: "jogador à venda"

No momento, Soto tem um contrato até 2024 com o Washington Nationals, ganhando US$ 17,1 milhões por temporada.

O diretor-geral do Washington Nationals, Mike Rizzo, que em junho tinha declarado que queria construir uma equipe vencedora, agora dispensou o jogador.

Soto está sendo seguido por outros times americanos, como os St. Louis Cardinals, Los Angeles Dodgers, New York Yankees, San Francisco Giants e Seattle Mariners.

O jogador vai agora escolher onde continuar sua carreira junto com seu poderoso agente, Scott Boras.