Gap adere ao projeto '15% Pledge' para inserir talentos negros na empresa

Com 15% de negros na população norte-americana, o projeto 15 Percent Pledge pretende inserir 15% produtos de empresas negras em outras companhias
 (Bloomberg/Divulgação)
(Bloomberg/Divulgação)
J
Jordyn Holman, da Bloomberg

Publicado em 01/02/2021 às 14:37.

Última atualização em 02/02/2021 às 22:37.

O movimento 15 Percent Pledge, que busca valorizar empresas de pessoas negras, está se expandindo à medida que ganha adesão de novas companhias, como a Gap. A iniciativa, que começou no ano passado como uma tentativa de dar aos produtos de empresas de propriedade de negros 15% do espaço nas prateleiras das varejistas, se adaptou para acomodar novas companhias que não vendem marcas externas.

Seu dinheiro está seguro? Aprenda a proteger seu patrimônio

A Gap agora está prometendo iniciar novos programas e expandir os existentes para desenvolver talentos negros a fim de aumentar a representação em sua força de trabalho.

Aurora James, que lançou a Fundação 15 Percent Pledge, disse que queria expandir o alcance do projeto para possibilitar que mais empresas se envolvessem e melhorassem a diversidade em suas forças de trabalho.

“O pedido original ainda está lá e é o maior”, disse James, referindo-se ao compromisso de espaço nas prateleiras. “Em última análise, também vamos criar um ecossistema de apoio.”

James começou a empreitada no verão passado, após a morte de George Floyd pela polícia, com o objetivo de dar às empresas uma maneira tangível de apoiar a comunidade negra, além das típicas declarações de apoio. Empresas como Sephora e West Elm estiveram entre as primeiras a assinar o compromisso e cada uma das 18 marcas que se uniram trabalha diretamente com ela para definir benchmarks e metas. O nome - 15% - refere-se à porcentagem aproximada da população que os negros representam nos Estados Unidos.

Expansão de estágios

A Gap busca expandir estágios, usar relacionamentos com universidades e programas de mentoria para desenvolver e identificar trabalhadores em comunidades negras - aumentando seu total de programas em 15%. A fabricante de roupas havia dito anteriormente que busca dobrar o número de trabalhadores negros e latinos em seus escritórios nos Estados Unidos, de acordo com Kisha Modica, que supervisiona os esforços de igualdade e diversidade da Gap.

A empresa está “tendo um foco nas pessoas para garantir que tenhamos mudança de longo prazo”, disse Modica em entrevista. “Esse compromisso nos desafia a pensar sobre nossos programas existentes e como podemos ter barreiras ou pontos de acesso que nos impedem de realizar todo o nosso potencial.” Ampliar o foco do projeto “dá a outras empresas que talvez estejam sentadas à margem” uma forma de ingressar, disse ela.

Atualmente, a força de trabalho geral da Gap nos Estados Unidos é 18% negra, de acordo com a companhia. Um quinto dos funcionários das lojas da Gap são negros, enquanto os trabalhadores negros representam 4% na matriz.

James disse que está trabalhando com a Gap, que também é dona das marcas Old Navy, Banana Republic e Athleta, em seu compromisso específico por alguns meses. Ela reconheceu que nem tudo mudará imediatamente, mas espera que isso coloque as empresas no caminho certo. Ela espera que mais empresas também assinem o compromisso, e não apenas as varejistas que foram o alvo inicial da promessa.