Ex-piloto Emerson Fittipaldi será candidato ao Senado da Itália, diz jornal

Seis assentos são reservados a senadores residentes no exterior; ex-ministro Andrea Matarazzo também está na disputa
Ddecisão de Fittipaldi foi tomada na última quinta-feira, de acordo com o Il Giornale (James Bearne/Getty Images)
Ddecisão de Fittipaldi foi tomada na última quinta-feira, de acordo com o Il Giornale (James Bearne/Getty Images)
A
Agência O GloboPublicado em 15/08/2022 às 12:21.

Bicampeão da Fórmula 1, o piloto Emerson Fittipaldi, de 76 anos, irá disputar uma cadeira no Senado da Itália pelo partido de extrema-direita Fratelli d'Italia, segundo o jornal italiano Il Giornale. Desde 2006, após a aprovação de uma emenda constitucional, seis cadeiras do Senado do país são reservadas para italianos residentes no exterior.

Ainda de acordo com o Il Giornale, a decisão de Fittipaldi foi tomada na última quinta-feira, após uma conversa com a presidenta do Fratelli d'Italia, Giorgia Meloni.

Ao jornal italiano, o piloto brasileiro disse contar com apoio do presidente Bolsonaro em sua candidatura. Neto de imigrantes italianos, ele tem entre as pautas que defende a manutenção do ius sanguinis, o direito à cidadania pautado apenas em laços familiares. A ele se contrapõem o ius solis, no qual a cidadania é adquirida pelo nascimento no território do país, como acontece no Brasil.

"Estou muito feliz por concorrer ao Senado italiano nas eleições de 25 de setembro. Já coloquei no papel várias propostas e todas elas visam promover ações relacionadas aos brasileiros que têm fortes laços com as terras, a cultura e o esporte italianos. Espero ter o apoio dos eleitores do Brasil e da América Latina, mas também dos que moram na Itália, e dos italianos que sempre foram meus apoiadores", disse Fittipaldi.

Outras pautas defendidas pelo brasileiro envolvem acordos de reciprocidades entre Brasil e Itália para a validação automática de diplomas e para profissões como advogados e jornalistas. Fittipaldi não será o único brasileiro na disputa por representar o distrito da América do Sul no Senado da Itália. O ex-ministro Andrea Matarazzo também está no pleito.