Disputa de Angelina Jolie e Brad Pitt por vinhedo é a nova batalha judicial de celebridades

Ator está processando a atriz por ter vendido metade de propriedade dos dois para oligarca russo; ele pede que caso seja analisado por júri
O ex-casal Brad Pitt e Angelina Jolie. (Mario Anzuoni/Reuters)
O ex-casal Brad Pitt e Angelina Jolie. (Mario Anzuoni/Reuters)
A
Agência O Globo

Publicado em 08/06/2022 às 11:13.

Última atualização em 08/06/2022 às 11:18.

Uma nova disputa envolvendo duas grandes celebridades e um tribunal do júri pode estar para acontecer muito em breve nos Estados Unidos. As partes envolvidas? Angelina Jolie e Brad Pitt. O ator está processando a atriz, sua ex-mulher, por causa do Château Miraval, um vinhedo que os dois tinham na França.

Os advogados de Pitt alegam que Jolie "inflingiu danos" ao ator por vender a parte dela para um oligarca russo, com associações e intenções maliciosas", sem o conhecimento prévio do ator. Para resolver a questão, eles demandam que o caso seja analisado por um júri da Califórnia. Uma audiência está marcada para o dia 19 de julho.

"Pitt e Jolie compraram o château como uma casa para compartilhar com seus filhos e o vinhedo como um negócio familiar. Eles concordaram que nunca venderiam suas respectivas participações na Miraval sem o consentimento do outro", diz o documento obtido pelo jornal "New York Post".

"O vinhedo se tornou a paixão de Pitt – e lucrativa, pois a Miraval, sob a administração dele, virou um negócio global multimilionário e um dos produtores de vinho rosé mais conceituados do mundo. Jolie, por sua vez, não contribuiu em nada para o sucesso de Miraval. Em vez disso, ela permitiu que Pitt investisse dinheiro e capitalizasse no negócio, confiando no direito de consentimento que ela devia a ele e no direito de preferência que sua entidade comercial devia a ele".

Venda controversa

Segundo os documentos, Angelina Jolie teria vendido sua parte - sem dar o direito de preferência a Brad Pitt - para a Tenute del Mondo, divisão de bebidas da empresa Stoli Group, controlada pelo oligarca russo Yuri Shefler. 

“Desde que afirmou ter adquirido a participação de Jolie na Miraval, Shefler lançou uma aquisição hostil do negócio de vinhos, desestabilizando as operações da Miraval e buscando acesso às informações confidenciais e proprietárias da Miraval para o benefício de sua empresa concorrente”, dizem os documentos, que afirmam que o ator estava preparado para comprar a parte dela depois do divórcio, em 2019.

O Miraval está localizado em Correns, no sul da França, foi comprado em 2008 por US$ 28.4 milhões. O terreno, além do vinhedo, tem uma mansão com 35 aposentos, capela, fontes e aquedutos. Angelina Jolie e Brad Pitt se casaram lá, em 2014. 

 

Hoje, por causa da venda, o ator diz que não consegue mais usar a propriedade como casa particular.