Casual

Dia Internacional do Jazz: respire o som de New Orleans

Conheça alguns dos lugares que contam a história e também celebram o jazz.

New Orleans: cidade pulsa no ritmo da história e da música.  (Carolina Gehlen/Exame)

New Orleans: cidade pulsa no ritmo da história e da música. (Carolina Gehlen/Exame)

Carolina Gehlen
Carolina Gehlen

Head of Design

Publicado em 30 de abril de 2023 às 17h57.

Última atualização em 2 de maio de 2023 às 14h08.

New Orleans é um coração que pulsa ao ritmo da sua história e da música que hipnotiza suas ruas. Seja no Mardi Gras ou no Jazz Fest, o som dos metais e cordas se mistura aos sabores e crenças da cidade.
O jazz tem suas raízes na fusão cultural entre europeus e africanos que ocorreu em Nova Orleans, Louisiana, nos Estados Unidos, durante as décadas de 1890 e 1900. Reconhecendo sua importância como uma forma de arte que promove a unidade global, em novembro de 2011, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) oficialmente designou o dia 30 de abril como o Dia Internacional do Jazz.
Conheça alguns lugares incríveis em New Orleans para ver de perto as raízes deste estilo musical.

Congo Square

Congo Square é um espaço aberto, dentro do Parque Louis Armstrong, localizado no bairro Tremé, do outro lado da Rampart Street, ao norte do French Quarter. A praça é famosa por sua influência na história da música afro-americana, especialmente no jazz. As raízes do parque remontam ao período anterior à guerra, quando os africanos escravizados se reuniam para se unir, cantar e dançar na Congo Square. Esse mesmo espírito resiliente permanece no parque até hoje, onde são realizados vários dos festivais de música da cidade.

A poucos passos do French Quarter fica o parque público que homenageia o grande jazzista Louis Armstrong. (Carolina Gehlen/Exame)

New Orleans Jazz Museum

Localizado no cruzamento do French Quarter com o corredor de música da Frenchmen Street, o New Orleans Jazz Museum fica no coração da vibrante cena musical da cidade. Por meio de parcerias com instituições educacionais locais, nacionais e internacionais, o museu promove a compreensão global do jazz como uma das formas de arte musical mais inovadoras da história. No museu, também é possível ouvir uma banda de jazz ao vivo, o programa acontece dentro do Performance Center no terceiro andar. A entrada é gratuita e aberta ao público, os lugares são limitados e oferecidos por ordem de chegada.
Também é possível acompanhar os shows pelo Youtube do museu.

Arrowhead Jazz Band reúne guardas florestais do Serviço de Parques Nacionais e músicos locais para tocar jazz. (Carolina Gehlen/Exame)

Ruas de New Orleans

Passear pelas ruas da cidade é como voltar no tempo, descobrindo locais emblemáticos da cultura local. Uma dica é visitar o lugar onde ficava o The Eagle Saloon, local das apresentações de Buddy Bolden e da juventude de Louis Armstrong, o Eagle Saloon é um dos marcos mais importantes do jazz antigo que ainda resta em Nova Orleans.
Para além da tradição, New Orleans é uma cidade vibrante, basta caminhar pela Frenchmen Street, a principal artéria do bairro de Marigny, adjacente ao French Quarter. Aprecie seus movimentados cafés, clubes de música e restaurantes. O trecho de cinco quarteirões de diversão movida a música é mais conhecido por suas bandas de metais que tocam diariamente. Há muitas opções de música ao vivo, shows burlescos, karaokê e festas dançantes.
Iluminada por neons e decorada com miçangas, as varandas da Bourbon Street personificam a vida de uma cidade festeira. Com suas janelas e portas abertas para os curiosos que passam pela rua, ela fica no coração do bairro Francês, o mais antigo de New Orleans. Ela é repleta de lojinhas de souvenirs, ideal para levar algumas lembranças para casa juntas às incríveis melodias que você guardará para sempre na memória.

Localizado em um prédio de quase 200 anos, Fritzel's Jazz Club apresenta jazz tradicional todas as noites da semana, na Bourbon Street. (Carolina Gehlen/Exame)

* A jornalista viajou a convite da Travel South USA

Acompanhe tudo sobre:JazzEstados Unidos (EUA)Música

Mais de Casual

Wagyu: 6 restaurantes em São Paulo para provar a rara carne japonesa

Conheça o Bugatti Chiron: o carro de R$ 50 milhões que se tornou o mais caro do Brasil

Por que hosts de Airbnb passaram a investigar redes sociais de viajantes para aceitar reservas

Dia do Chocolate: 25 doces para provar em São Paulo

Mais na Exame