Daniel Dias vence 50 metros costas e conquista seu 4º ouro

Daniel completou a prova em 34s99 e impôs uma boa vantagem aos outros concorrentes

Londres - O nadador brasileiro Daniel Dias conseguiu nesta quinta-feira seu quarto ouro nos Jogos Paralímpicos de Londres ao vencer a prova dos 50 metros costas (classe S50), se tornando o maior atleta paralímpico brasileiro em toda a história.

Com a medalha dourada, Daniel ampliou sua coleção para 13 medalhas (oito ouros, quatro pratas e um bronze), ultrapassando Clodoaldo da Silva e Ádria dos Santos por ter subido mais vezes no lugar mais alto do pódio.

O brasileiro fez o tempo de 34s99, batendo um recorde mundial nos Jogos, ficando a frente do chinês Junquan He (36s410), segundo colocado, e do húngaro Zsolt Vereczkei (38s92), terceiro.

'Treinei muito duro para chegar até aqui e sei que posso conseguir o que me propus. Quero ser uma fonte de inspiração para as pessoas incapacitadas. Agora, preciso de um pouco de descanso para me concentrar nas duas próximas provas', disse Daniel Dias.

O nadador disputará ainda duas provas individuais, os 100 metros livre e os 50 metros borboleta, além do revezamento 4x100 metros medley 34 pontos.

Quem também conseguiu mais um ouro foi André Brasil, que já tem cinco medalhas na Paralimpíada de Londres. Hojem ele foi o campeão dos 100 metros livres (classe S10), com um tempo de 51s07. O também brasileiro Phelipe Rodrigues (52s42) ficou com a prata, repetindo a dobradinha feita em Pequim, há quatro anos, e o australiano Andrew Pasterfield foi bronze, com 52s77.

Outra medalhista brasileira no Centro Aquático foi Edênia Garcia, que conquistou a prata nos 50 metros costas (classe S4), ao fazer o tempo de 53s85. Ela ficou atrás apenas da holandesa Lisette Teunissen, que chegou bem à frente, com a marca de 51s51.

Na pista de atletismo, mais precisamente na prova dos 100 metros rasos (classe T44), o brasileiro Alan Fonteles e o sul-africano Oscar Pistorius eram o centro das atenções depois do duelo dos 200 metros rasos no último domingo. No entanto, os dois ficaram sem medalha e quem acabou brilhando foi o britânico Jonnie Peacock, que ficou com a medalha dourada (10s90).

Alan decepcionou e ficou apenas em sétimo lugar, com o tempo de 11s33, enquanto Pistorius fez 11s17 e terminou em quarto. Os dois ainda duelarão nos 200 metros.

Yohansson Nascimento era o favorito para a prova dos 100 metros rasos (classe T46), depois de ter batido o recorde mundial nas eliminatórias, mas sentiu uma lesão na coxa esquerda e completou a prova andando e chorando, em último lugar, com 1min30s79.

No futebol de cinco, a seleção brasileira conseguiu vaga na final dos Jogos Paralímpicos após vencer por 1 a 0 nos pênaltis o clássico continental contra a Argentina, depois de um empate sem gols no tempo normal. O Brasil tentará o tricampeonato olímpico do esporte contra a França.

O país também disputará a final do goalball, depois de vencer a Lituânia por 2 a 1, de virada. A luta pelo ouro será contra a Finlândia, nesta sexta-feira.

O quadro de medalhas continua liderado pela China, com 70 ouros, seguida por Grã Bretanha e Rússia, com 31 ouros cada. O Brasil ocupa a oitava posição no geral, com 14 ouros, 10 pratas e 5 bronzes.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.