Corpo de Gugu chegará até quinta a São Paulo; órgãos serão doados

Doação de órgãos do apresentador pode beneficiar até 50 pessoas
Gugu Liberato: ideia da família, segundo a assessoria, é abrir o velório ao público. (Rede Record/Divulgação)
Gugu Liberato: ideia da família, segundo a assessoria, é abrir o velório ao público. (Rede Record/Divulgação)
Por Redação Exame, com agênciasPublicado em 23/11/2019 13:54 | Última atualização em 23/11/2019 16:26Tempo de Leitura: 3 min de leitura

O corpo de Gugu Liberato - morto na sexta-feira (22) após um acidente doméstico - deve chegar ao Brasil até a próxima quinta-feira (28), de acordo com informações da assessoria de imprensa do apresentador. O presidente da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) ofereceu o Salão Nobre da Casa para o velório.

A ideia da família, segundo a assessoria, é abrir o velório ao público que tanto apoiou Gugu durante sua carreira na TV. Ainda não há informações oficiais, porém, sobre velório e sepultamento. O apresentador tinha 60 anos e deixa três filhos: João Augusto de 18 anos e as gêmeas Marina e Sophia de 15 anos.

Doação de órgãos

A família de Gugu autorizou a doação de órgãos "atendendo uma vontade dele", o que deve interferir na demora para o traslado ao Brasil. "Gugu sempre refletiu sobre os verdadeiros valores da vida e o quão frágil ela se revela", diz o comunicado assinado pela família e enviado para a imprensa nesta sexta.

Neste sábado, a assessoria de imprensa do apresentador divulgou nova nota em que ressalta que "todos os órgãos foram doados. Segundo informações da equipe médica responsável, essa doação poderá beneficiar até 50 pessoas". O corpo só poderá ser transportado após os procedimentos, de acordo com informações da equipe médica.

Acidente em Orlando

Gugu Liberato morreu nesta sexta-feira, em Orlando, na Flórida, onde tinha uma residência. Ele havia sido internado em um hospital após sofrer um acidente doméstico.

Ele caiu de uma altura de quatro metros quando fazia um reparo no ar-condicionado no sótão da casa. Os exames iniciais constataram sangramento intracraniano. Em virtude da gravidade neurológica, não foi indicado qualquer procedimento cirúrgico. Durante o período de observação foi constatada a ausência de atividade cerebral.

A morte encefálica foi confirmada pelo Professor Dr. Guilherme Lepski, neurocirurgião brasileiro chamado pela família, que após ver as imagens dos exames em detalhes, confirmou a irreversibilidade do quadro clínico diante da mãe do apresentador Maria do Céu, dos irmãos Amandio Augusto e Aparecida Liberato, e da mãe de seus filhos, Rose Miriam Di Matteo.

Vida e carreira

O apresentador era paulistano e filho de portugueses. Nasceu no dia 10 de abril de 1959. Seu pai era caminhoneiro e sua mãe dona-de-casa. Ele tinha apenas 14 anos quando fez sua primeira aparição na TV, participando de uma gincana. Com 19 anos tornou-se auxiliar de escritório e, pouco depois, ganhou um cargo como produtor de TV. Mas ele acabou desistindo da carreira e indo estudar Odontologia. Sua passagem pela faculdade foi muito breve e ele acabou voltando para a TV.

Em 1982 passou a comandar o programa de auditório Viva a Noite, no SBT, emissora onde trabalhou por mais de 30 anos. Lá ele passou por diversos outros programas, como Passa ou Repassa, Sabadão Sertanejo e Domingo Legal, atração que rivalizava com o Domingão do Faustão, na Globo, em uma acirrada guerra pela audiência. Em 2009 chegou à Record, onde apresentou o Programa do Gugu, Gugu e Power Couple Brasil.

Recentemente ele apresentava o programa Canta Comigo, na TV Record. Gugu também era empresário, proprietário da GGP Produções, pólo de desenvolvimento audiovisual. Além de empresário e apresentador, Gugu também era cantor: ele ficou conhecido por suas versões de Pintinho Amarelinho e A Dança da Galinha Azul. Como ator, teve participação em diversos filmes, especialmente nos do grupo Os Trapalhões.