Conheça os melhores bares fora do eixo Rio-SP no ranking da CASUAL Exame

Confira os destaques na baixa gastronomia em sete estados do Brasil escolhidos por quem mais entende do assunto
De capitais a cidades histórias, há opções de destaque em todo o país (Mina Jazz Bar/Divulgação)
De capitais a cidades histórias, há opções de destaque em todo o país (Mina Jazz Bar/Divulgação)
Por Gabriel Aguiar, Daniel Salles, GabrielJusto
Publicado em 30/09/2022 às 08:15.

Já conferiu quais são os 100 Melhores Bares do Brasil eleitos por críticos e influenciadores especializados na CASUAL Exame? Não é nenhuma surpresa que boa parte desses representantes estejam em sete estados – além do eixo Rio-SP. E há desde endereços despretenciosos (que apostam na tradicional combinação de petiscos e ceveja) até balcões comandados por mixologistas de destaque. Confira a seguir as melhores pedidas em diferentes regiões do país!

VEJA TAMBÉM

MiniBar Gem

MiniBar Gem: boa bebiba e bons snacksMiniBar Gem: boa bebiba e bons snacks (MiniBar Gem/Divulgação)

Como inúmeros bares mundo afora, o MiniBar Gem nasceu como uma área de espera de um restaurante disputado. No caso, o Origem, do chef Fabrício Lemos e de sua mulher, a chef pâtissière Lisiane Arouca, também donos dos restaurantes Ori e Omi, todos em Salvador. Mas não demorou para o MiniBar Gem ganhar vida própria — muitos dos frequentadores, por sinal, nem sequer pisaram no Origem até hoje.

Inaugurado em 2020, o bar tem capacidade para apenas 20 pessoas, que podem optar entre banquetas altas, cadeiras tradicionais ou dois balanços, instalados na frente do balcão do bar. A carta de drinques presta tributo ao que a Bahia tem de sagrado e profano. O Ori-Chá, por exemplo, leva gim, abacaxi, especiarias, limão e pimenta-preta (37 reais). Já o Sex on the Gem combina rum, cachaça envelhecida em carvalho, catuaba, limão, mel e especiarias (38 reais).

Quem vai sem planos de jantar no Origem não costuma se arrepender — conhecido por elaborar bons snacks, Lemos criou vários para o Gem. É o caso do taco que junta costelinha suína, tarê, saladinha de chuchu, pimenta dedo de moça, amendoim e gergelim (36 reais). A tagliata de angus ganha a companhia de cogumelos picados, ovas, queijo, brotos e picles de mostarda (52 reais).

Alameda das Algarobas, 74, Caminho das Árvores, Salvador

@minibargem


Ginger

GingerGinger (Ginger/Divulgação)

Seja pelo salão principal, com detalhes burlesque, ou pela sala vermelha “secreta” inspirada na série Twin Peaks, o Ginger é um dos endereços da moda na capital paranaense. E para justificar o sucesso, há desde apresentações circenses com tecido às receitas autorais, como o drink Meia noite em Paris (28 reais), que combina gim, cordial de maracujá, vermouth bianco e purê de amora.

Rua Saldanha Marinho, 1220, Centro, Curitiba

@gingerbarcwb


Mykola Lab Bar

MykolaMykola (Mykola/Divulgação)

Curioso para saber a origem do nome Mykola? É uma homenagem ao bisavô do fundador, Alieksey Machisnky, que veio da chegou da Ucrânia em 1930. Mas o batismo também faz referência ao nome dado aos bares que tinham somente um balcão e baquetas nos EUA há cem anos: bar de imigrantes. E o cardápio traz desde a tradicional caipirinha (28 reais) até coquetéis autorais.

Rua Visconde do Rio Branco, 1087, Mercês, Curitiba

@bar_mykola


Vasco da Gama, 1020

Vasco da Gama, 1020Vasco da Gama, 1020 (Vasco da Gama, 1020/Divulgação)

Eis que o portão de garagem pintado de amarelo serve de disfarce para o empreendimento – que foi moradia de um dos sócio até se transformar em bar. Mas, uma vez aberto, não há dúvida: os clientes são recebidos pelo grande balcão e pela decoração com estilo industrial. Na carta de drinks, feita em conjunto pelo time, brilha o Mamulengo (27 reais), com cachaça, bergamota, mel e limão.

Rua Vasco da Gama, 1020, Rio Branco, Porto Alegre

@vascodagama1020


Officina Restô Bar

Officina Restô BarOfficina Restô Bar (Officina Restô Bar/Divulgação)

É verdade que o Officina Restô Bar parece criado sob medida para as redes sociais: do teto cheio de lâmpadas às paredes escritas – sem deixar de lado a escada com frases estampadas. Mas o cuidado não se limitou à decoração, no cardápio há rigatoni alla vodka (55 reais) e do balcão sai o Antonina (35 reais), com cachaça de banana, creme de leite, Amaretto, licor de cacau e bala de banana.

Alameda Dr. Carlos de Carvalho, 1154, Centro, Curitiba

@officinarestobar


Jaguara

JaguaraJaguara (Jaguara/Divulgação)

Quem disse que os bares só podem conquistar pela coquetelaria? No Jaguara, criado pelo bartender Gabriel Figueira, os clientes são recebidos com água da hora que chegam até fecharem a conta – e é cortesia da casa. Mas não faltam opções autorais para os fãs de drinks, que têm como identidade as receitas com vinho Jerez, para combinar com a decoração ao estilo de club europeu.

Rua João Manoel, 188, São Francisco, Curitiba

@jaguara.bar


Capone Drinkeria

Capone DrinkeriaCapone Drinkeria (Capone Drinkeria/Divulgação)

Os sócios Matheus Agranonik e Thiago Agranonik buscaram inspiração no período da Lei Seca, mais especificamente nos anos 1920, para criar o Capone – que trouxe a essência de bares secretos dos Estados Unidos. Para acompanhar os coquetéis autorais como o Capone Gold (que traz gim, xarope de mirtilo, limão, albumina e folha de outro), há apresentações de jazz e blues ao vivo.

Rua Castro Alves, 449, Independência, Porto Alegre

@caponedrinkeria


Moleskine

MoleskineMoleskine (Moleskine/Divulgação)

Com quatro ambientes e um atendimento impecável mesmo nos dias mais movimentados, o Moleskine subiu a régua gastronômica da Aldeota, em Fortaleza, unindo uma cozinha de alta qualidade à uma inventiva carta de drinks. O Moscow Mule (34 reais) é um dos mais pedidos, mas vale a viagem pelos autorais, como o sombrio Dark Side (vodka, licor de laranja, limão taiti, xarope de grenadine, xarope Gum Nero e espuma de coco verde, por 28 reais) e o Tamarindo Spritz (cachaça Ypioca 150, concentrado de tamarindo, limão siciliano, Cordial de maçã com baunilha, água tônica, por 31 reais). 

Rua Professor Dias da Rocha, 578, Meireles, Fortaleza

@moleskinegastrobar


Taj

TajTaj (Taj/Divulgação)

Eis que o Taj se mantém há 18 anos como endereço certo para ver e ser visto na capital paranaense – fórmula que deu certo e expandiu para Balneário Camboriú (SC), Foz do Iguaçu (PR), Gramado (RS) e Assunção, no Paraguai. Enquanto a mixologia traz receitas criativas, como o Erva Mate Gin Fizz (28 reais), com “refrigerante de chimarrão”, a cozinha é famosa pela comida japonesa.

Rua Bispo Dom José, 2302, Batel, Curitiba

@tajcuritiba


Schnaps Bar

Schnaps BarSchnaps Bar (Schnaps Bar/Divulgação)

Não é qualquer bar que consegue atrair famílias como clientela fiel. É exatamente esse o fenômeno do empreendimento criado por Seu João em 2009 e que, três anos depois, trouxe para a sociedade a esposa Silmara e a cunhada Denize. É o autêntico botequim com cervejas de garrafa, chope gelado e caipirinhas tradicionais para acompanhar entradas e pratos com porções generosas.

Rua André Zaneti, 129, Vista Alegre, Curitiba

@schnaps.bar


Press Bar e Restaurante

PressPress (Press/Divulgação)

Sempre entre os melhores da capital gaúcha, o Press conquistou a clientela cult com seus pratos muito bem executados, com o Hilário (picadinho de filé mignon com acompanhamentos, por 55 reais), o estrogonofe (58 reais) e as pizzas super fininhas (23 reais). Para bebericar, muitas versões de drinks clássicos, como o Hot Gin Tônica, com maracujá e Tabasco.

Rua Hilário Ribeiro, 281, Moinhos de Vento, Porto Alegre

@pressgastronomia


Pina Cocktails & Co.

PinaPina (Pina/Divulgação)

Escondido atrás de um bar de praia que não fica exatamente na praia, e acessível somente por reservas, o Pina Cocktails & Co oferece a melhor coquetelaria de Recife, com drinks autorais criativos e clássicos bem executados  tudo em um ambiente intimista, como um bom “speakeasy”. Para além da carta, o bartender e mixologista Vitor Morais também cria drinks na hora, de acordo com o paladar do freguês.

Rua Estudante Jeremias Bastos, 153, Pina, Recife

@pinacocktails


Bar Palito

PalitoPalito (Palito/Divulgação)

Nesta que é, orgulhosamente, a menor drinqueria de BH, Thiago Ceccotti e Túlio D'angelo oferecem uma concisa carta de sete coquetéis clássicos (entre eles Martini, Negroni, Rabo de Galo e Daiquiri, todos a 30 reais), acompanhados apenas de queijinhos ou salames. Tudo extremamente bem feito, sem firulas, com muito cuidado e equilíbrio. Ah! E com uma vista deslumbrante da Praça Raul Soares.

Avenida Amazonas, 1049, Centro, Belo Horizonte

@barpalito


Ofélia

OféliaOfélia (Ofélia/Divulgação)

Inspirado em uma “bruxona” fictícia que é a antítese da Ofélia de Hamlet, esse bar todo místico oferece uma criativa carta de drinks tão extensa quanto o tarô de Marselha: são 22 coquetéis criados por Jocassia Coelho, cada um inspirado em uma carta do tradicional baralho  que é também o próprio cardápio, com lindas ilustrações originais de Thereza Nardelli. Além dos autorais (entre 22 e 42 reais), a casa também serve drinks clássicos (a partir de 24 reais) e comidinhas.

Rua Rio Grande do Norte, 311, Santa Efigênia, Belo Horizonte

@ofelia.bh

Nicolau Bar da Esquina

Nicolau Bar da EsquinaNicolau Bar da Esquina (Nicolau Bar da Esquina/Divulgação)

É nesta simpática esquina de Santa Tereza, em BH, que o chef Leo Paixão (do refinado Gluton e do Mina Jazz Bar, também reconhecido pela EXAME) pratica a sua baixa gastronomia  mais acessível, regional, mas com o mesmo primor na execução. Entre os belisquetes, vale provar os bolinhos com sweet chilli (a partir de 42 reais) e os deliciosos taquitos crocantes de porco desfiado (46 reais). Para acompanhar, o bar serve chopp Stella (17 reais) ou, se preferir um drink com a assinatura do chef, o Chá Mate Bum Bum, com limão, açúcar e bourbon.

Rua Pouso Alegre, 2217, Santa Tereza, Belo Horizonte

@nicolaubardaesquina


Muamba

MuambaMuamba (Muamba/Divulgação)

Neste bar dentro do complexo cultural Vila Container, o bartender, pesquisador e alquimista Yvens Pena cria alquimias perfeitas com produtos exóticos da floresta amazônica, como chicória, urucum e cumaru (os drinks vão de 25 a 36 reais). Enquanto isso, conta ao freguês histórias da coquetelaria, em uma experiência tão enriquecedora quanto despretensiosa.

Avenida Governador Magalhães Barata, 62, São Brás, Belém

@muambabar


Mina Jazz Bar

Mina Jazz BarMina Jazz Bar (Mina Jazz Bar/Divulgação)

O palacete que já abrigou o Automóvel Clube de Minas Gerais hoje é a casa de mais um empreendimento do chef Leo Paixão (do refinado Gluton e do Nicolau Bar da Esquina, também reconhecido pela EXAME): um requintado bar de jazz com um menu oriental e drinks de alta coquetelaria. Os baos de porco, frango, polvo ou beringela (35 reais cada) são uma boa opção para matar a fome entre um drink e outro. Tem de Rabo de galo (35 reais) e caipirinha (35 reais) a opções mais sofisticadas, como o Vieux carré (maker's mark, osborne, punt e mes, bénédictine, angostura e zest de limão siciliano, por 57 reais).

Avenida Álvares Cabral, 17, Centro, Belo Horizonte

@minajazzbar


Mercadinho Bicalho

Mercadinho BicalhoMercadinho Bicalho (Mercadinho Bicalho/Divulgação)

Seu Nivaldo abriu as portas em 1985 como um mercadinho, mesmo. Mas receptividade familiar foi atraindo amigos e vizinhos em busca de bom papo e cerveja gelada e, 15 anos depois, ele já era o “Rei da Almôndega”  em referência ao tradicional prato com 150 g de carne com molho, batata cozida, bastante queijo derretido e farinha de fubá (20 reais). O cardápio também tem drinks a partir de 17 reais, que podem ser apreciados tanto no salão quanto nas mesas da praça em frente.

Rua Mármore 556, Santa Tereza, Belo Horizonte

@mercadinhobicalho


Firma

No centro histórico de Porto Alegre, o Firma se propõe a ser o lugar onde a alta gastronomia encontra o espírito das ruas  e cumpre a promessa. Além dos drinks autorais preparados com técnicas de cozinha pela chefe de bar Gabriela Madera, o trunfo da casa está nas comidinhas criativas e de muita qualidade do chef Ricardo Dornelles, como o bao bun de costela bovina defumada (39 reais, com três unidades) e o arroz caldoso com abóbora curada (67 reais), um dos vários pratos que compõem o cardápio 50% vegetariano/vegano da casa.

Rua Coronel Genuíno, 116, Centro Histórico, Porto Alegre

@firma.bar


Dionisia

DionisiaDionisia (Dionisia/Divulgação)

Este premiado winebar de Porto Alegre proporciona uma experiência divertida: uma volta ao mundo pelas torneirinhas das suas “wine stations”, que servem doses de 30, 75 ou 125 ml de mais de 60 rótulos criteriosamente pelo sommelier da casa. A cozinha funciona durante todo o dia, servindo almoço executivo (50 reais) e jantar, com sobremesas tentadoras. Derivados da uva, o carro-chefe da casa, também estão presentes em toda a carta de drinks (de 35 a 45 reais).

Rua Padre Chagas, 314, Moinhos de Vento, Porto Alegre

@dionisiavinhobar


Cozinha Tupis

Cozinha TupisCozinha Tupis (Cozinha Tupis/Divulgação)

Parte da nova vibe que toma conta do Mercado Novo vem do Cozinha Tupis, que lança um olhar contemporâneo para a tradicionalíssima cozinha mineira. Por lá, o chef Henrique Gilberto transforma ingredientes pouco valorizados (como jiló, língua de boi e pé de porco) ali do próprio centro da cidade em pratos que entregam o máximo de sabor, como na lentilhada, que leva bochecha de porco guisada lentamente com n’duja, cebola assada, e Ras el hanout cozido com o grão.

Avenida Olegário Maciel, 742, Centro, Belo Horizonte

@cozinhatupis


Cais Rooftop Lounge

Cais RooftopCais Rooftop (Cais Rooftop/Divulgação)

No terraço do Museu Cais do Sertão, o Cais apareceu de mansinho, sem muito alarde e já apresenta uma das melhores coquetelarias do Nordeste. A carta de drinks elaborada pelo mixologista Lucas Santos vai do simples Mojito (25 reais) aos de mais personalidade, como o Penicillin (34 reais), sempre em perfeita combinação com a excelente cozinha do Chef Renato Valadares  e, claro, com uma vista sem igual do Recife.

Avenida Alfredo Lisboa, 04, Recife Antigo, Recife

@caisrooftop


Cachaçaria Lamparina

Cachaçaria LamparinaCachaçaria Lamparina (Cachaçaria Lamparina/Divulgação)

Inspirada na estética, no atendimento e na simplicidade das antigas vendas mineiras, a Lamparina serve doses (de 8 a 20 reais), coquetéis e histórias das cachaças (e só delas!) garimpadas por toda Minas Gerais pelos sócios Guilherme Costa e Thales Campomizzi. Uma das criações originais é o Calma Nervo, com cachaça de jambu, licor de pequi, limão capeta, água tônica e manjericão (18 reais).

Avenida Olegário Maciel, 742, Centro, Belo Horizonte

@lamparina.cachacaria


Cabernet Butiquim

Cabernet ButiquimCabernet Butiquim (Cabernet Butiquim/Divulgação)

Este bar e restaurante que também é uma loja de vinhos encabeça em Belo Horizonte o movimento de descomplicar o consumo dessa bebida. É possível sentar-se à mesa e pedir um ossobuco com risoto (58 reais) ou simplesmente sentar na calçada e tomar a sua garrafa comendo um petisco, como o croquete de carne de panela com maionese de rúcula (39 reais, seis unidades). Para quem prefere os drinks, a "Garagem do Cab" guarda um enorme balcão dedicado à coquetelaria.

Rua Levindo Lopes, 22, Funcionários, Belo Horizonte

@cabernetbutiquim


Bar do Zezé

Bar do ZezéBar do Zezé (Bar do Zezé/Divulgação)

Mais uma antiga mercearia que virou boteco uma cozinha premiada, o Bar do Zezé serve o melhor da cozinha mineira com fartura e despretensão. Os tradicionais galinhada, dobradinha e tropeiro disputam a preferência da clientela com pratos que são a assinatura da casa, como o “Encontro Marcado” (carne com jiló e angu, por 39 reais para duas pessoas) e o bolinho de milho verde com bacalhau (12 unidades por 46 reais).

Rua Pinheiro Chagas, 406, Barreiro, Belo Horizonte

@bardozeze


Bar Central

Bar CentralBar Central (Bar Central/Divulgação)

Com sua atmosfera alternativa, um cardápio de pratos e petiscos irresistível e um respeitável acervo de cachaças e cervejas, o Central é símbolo do centro de Recife há 18 anos. Entre os mais pedidos estão o filé com fritas e o steak au poivre (55 reais cada) e, entre as opções vegetarianas, o sanduíche de falafel (30 reais).

Rua Mamede Simões, 144, Santo Amaro, Recife

@bar_central_recife


Balbino & Martins

Balbino e MartinsBalbino e Martins (Balbino e Martins/Divulgação)

Em um simpático casarão histórico no Rebouças, em Curitiba, os amigos Guilherme Balbino e Jonas Martins mantêm este irreverente bar de vinhos que não tem carta. Os clientes escolhem os rótulos direto da adega, no centro do bar, que ganha novas opções a cada garimpada de Balbino  que já foi eleito o melhor sommelier do Paraná. Para acompanhar, a cozinha serve pizzas (39 reais), carne de onça (prato tradicional da cidade, por 35 reais) e "Pratos Que Só Tem De Vez Em Quando”, conforme a inspiração do chef.

Avenida Iguaçu, 1274, Rebouças, Curitiba

@balbinoemartins


 AstroLAB

AstroLabAstroLab (AstroLab/Divulgação)

Na mesma casa onde também funcionam um bistrô e um café, o head bartender Gabriel Bueno (um dos finalistas brasileiros do WorldClass, a copa do mundo da coqueletaria) comanda um laboratório de drinks cujo menu é um passeio pelo universo. Destaque para o Astropolitan, um cosmopolitan que leva framboesa e Cointreau (36 reais) e para o From the Earth, que celebra o “retorno à Terra” com Ketel One, limão siciliano, kombumate e melado de banana.

Alameda Pres. Taunay, 533, Batel, Curitiba

@astrolabcwb


AngaBar

AngaBarAngaBar (AngaBar/Divulgação)

Fruto do encontro entre a cozinha autoral do Chef Rodolfo Mayer e coquetelaria do Chefe de Bar Pedro Resende, o AngaBar serve comidinhas clássicas dos bares mineiros, para comer em poucas bocadas e harmonizadas com drinks que representam o Brasil e “mineiridade”, como o Mineira Mule (com cachaça gengibre, suco de limão e espuma de capim limão, por 39 reais) e o Romeu Bêbado (com cachaça, goiabada cremosa com pimenta Jamaica, suco de limão e folhas de hortelã, por 36 reais). O menu degustação, com sete pestiscos e três drinks, sai por 279 reais.

Rua Direita, 159, Centro Histórico, Tiradentes

@angabartiradentes


Agulha

AgulhaAgulha (Agulha/Divulgação)

Um dos primeiros negócios a apostar na requalificação do 4º distrito, um conjunto de antigos bairros industriais de Porto Alegre, o Agulha é uma casa de música brasileira independente com uma carta de drinks preparados com bebidas “raiz”. Entre os mais pedidos estão o Élida (Cachaça Agulha e grappa infusionadas em camomila, limão siciliano, açúcar e aquafaba, por 25 reais) e o o Bê (Xiboquinha, Brasilberg, laranja, limão e açúcar demerara, por 19 reais).

Rua Conselheiro Camargo, 300, São Geraldo, Porto Alegre

@agulha.poa


Timbuca

TimbucaTimbuca (Timbuca/Divulgação)

Escondidinho ao lado de um posto de gasolina, o Timbuca tem um cardápio bem diversificado, que vai de petiscos de raiz (dobradinha, moela e chouriço, em porções de 24 a 48 reais) a clássicos (coxinha, pastel e dadinho de tapioca, entre 33 e 43 reais)  tudo feito pelo chef Caetano Sobrinho, que também comanda o Caê Restaurante Bar. Destaque para a carta de cachaças, com mais de 100 rótulos mineiros.

Avenida Afonso Pena, 4321, Serra, Belo Horizonte

@timbucabar


Júri: Alessandra Carneiro (Agenda Carioca); André Bezerra (empreendedor); André Clemente (Prazeres da Mesa); Andrea D’Egmont (jornalista); Carolina Daher (revista Encontro); Caroline Grimm (@carolinegrimm); Cecilia Padilha (@yeswecook); Celina Aquino (Estado de Minas); Cesar Adames (jornalista); Daniel Salles (jornalista); Daniela Filomeno (CNN Viagem & Gastronomia); Danielle Dalla Valle Machado (Bom Gourmet); Diogo Carvalho (Destemperados); Edi Souza (Folha de Pernambuco); Fabio Wright (Taste & Fly); Felipe Almeida (@almeida1984); Fernanda Meneguetti (jornalista); Flavia Schiochet (jornalista); Gabriel Aguiar (EXAME); Gabrielli Menezes (Nossa/Uol); Giba Amendola (O Estado de S.Paulo); Isadora Bello Fornari (Prazeres da Mesa); Ismaelino Pinto (O Liberal); Ivan Padilla (EXAME); João Grinspum Ferraz (Casa do Carbonara); Jorge Lucki (Valor Econômico); Juliana Andrade (@viver_para_comer); Junior Ferraro (Azul); Jussara Voss (Gazeta do Povo); Kelly Lobos (Burger Fest); Kike Martins (revista 29horas); Larissa Januário (Sabor & Arte); Lela Zaniol (Destemperados); Liana Sabo (Correio Braziliense); Linda Bezerra (jornal Correio); Lorena Martins (O Tempo); Lucas Amorim (EXAME); Luciana Barbo (Metrópoles); Luiza Fecarotta (jornalista); Marcel Miwa (Gula); Marcella Sobral (jornalista); Marcelo Cury (@curym); Marcelo Katsuki (Folha de S.Paulo); Marcelo Sant’Iago (Top Cocktails); Marcos Nogueira (Folha de S.Paulo); Maria Eduarda Vétere (You Must Go); Mariah Luz (@oquefazercuritiba); Mauricio Maia (O Estado de S.Paulo); Michel Berndt (@Mix-O-Logic); Patricia Ferraz (rádio Eldorado); Pedro Mello e Souza (O Globo); Renata Araújo (You Must Go); Renata Mesquita (O Estado de S.Paulo); Renato Brasil (O Povo); Ricardo Castilho (Prazeres da Mesa); Roberto Hirth (@robertohirth); Rosa Moraes (The World’s 50 Best Restaurants); Saulo Yassuda (Veja SP); Sergio Crusco (jornalista); Suzana Barelli (O Estado de S.Paulo); Vanessa Lins (Folha de Pernambuco).

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos para você aproveitar seu tempo livre com qualidade.