Casual

Confrarias de vinho ampliam o conhecimento sobre a bebida; saiba como montar a sua

Confrarias e clubes de vinho atestam: a ocasião é tão importante quanto a qualidade da bebida

Restaurante Ville du Vin, em São Paulo: importadora e ponto de encontro para degustações.  (Ville du Vin/Divulgação)

Restaurante Ville du Vin, em São Paulo: importadora e ponto de encontro para degustações. (Ville du Vin/Divulgação)

Gilson Garrett Jr.
Gilson Garrett Jr.

Repórter de Casual

Publicado em 8 de abril de 2024 às 07h03.

A história das confrarias de vinho remonta à França do século 18, antes da Revolução Francesa, mas sua popularização em encontros massivos veio apenas nos anos 1920. No Brasil, essas confrarias começaram a ganhar destaque a partir dos anos 1980 e, mais recentemente, têm sido impulsionadas pelos clubes de vinho.

Apesar da passagem dos séculos, o propósito fundamental das confrarias permaneceu inalterado: reunir pessoas com interesse em comum por vinho.

“Com as confrarias, a ocasião do consumo se torna até mais importante do que o próprio vinho. O ideal é que ambos andem juntos, qualidade e momento”, destaca Tiago Locatelli, sommelier da importadora Decanter. De fato, as confrarias proporcionam ao consumidor a oportunidade de aprimorar o paladar, permitindo a degustação de diversos rótulos e estimulando análises e comparações.

Um exemplo é o Mont Cristo Wine Bar, em Santo André, na Grande São Paulo, que recebe mensalmente grupos de até 20 pessoas. Sua adega abriga vinhos lendários, como o Château Cos Labory Grand Cru Classe 2001, com garrafas custando 1.140 reais, e o icônico vinho de sobremesa de Bordeaux Chateau D’Yquem Sauternes 1989, a 14.990 reais.

O espaço do wine bar é utilizado para confrarias, onde os participantes degustam esses rótulos e podem realizar harmonizações. Algumas garrafas são disponibilizadas da adega pessoal do empresário Cesar André Marchetti, um dos sócios do estabelecimento. “Também ofereço a opção em taça com um valor menor para os clientes provarem vinhos mais caros”, enfatiza.

Democratizar o vinho

Nesse sentido de popularizar a bebida e levar a cultura vinícola a um público mais amplo, a sommelière Silvana Aluá criou em 2017 a Confraria das Pretas, com o objetivo de reunir pessoas negras que apreciam bons rótulos. As reuniões acontecem em bares, online ou em vinícolas, sempre com o propósito de trocar informações.

Se você se sentiu inspirado a participar de uma confraria, saiba que pode criar a sua própria. Basta reunir alguns amigos interessados, definir tema e periodicidade, e você estará pronto para desfrutar ótimas degustações.


Acompanhe tudo sobre:Vinhosbebidas-alcoolicas

Mais de Casual

'Anora', de Sean Baker recebe a Palma de Ouro em Cannes; veja a lista de vencedores

Vídeo de americana viraliza no TikTok e convida a passeio pelo Rio de Machado de Assis

Como é e quanto custa viajar de jato particular para 5 destinos entre os mais incríveis do mundo

Grande Prêmio do luxo: como Mônaco enriquece a imagem da Fórmula 1

Mais na Exame