Casual
Acompanhe:

Chuva e frio nas praias paulistas não impedem diversão de turistas

Saiba quais roteiros o litoral paulista reserva além das praias

Ilha Bela, em São Paulo: destino paradisíaco é um dos favoritos dos paulistas (Reprodução/Wikimedia Commons)

Ilha Bela, em São Paulo: destino paradisíaco é um dos favoritos dos paulistas (Reprodução/Wikimedia Commons)

E
Estadão Conteúdo

8 de janeiro de 2023, 08h15

Dias de chuva, frio ou nublados não precisam ser de tédio ou frustração para os turistas e veranistas que estão nas praias de São Paulo. De espaços históricos a opções culturais e de maior contato com a natureza, os municípios dos litorais norte e sul e da Baixada Santista reúnem atrações que podem ajudar a esquecer o dia perdido à beira-mar.

O litoral reúne construções com séculos de história com tombamentos estadual e federal. São fortalezas, antigas casas, igrejas e outros espaços variados que possibilitam maior contato com a arquitetura e a memória local, além de renderem boas fotografias. Alguns podem ser visualizados da rua, em passeios por centros históricos, enquanto outros são abertos para a visitação.

Ilha Bela

O centrinho de Ilhabela também se destaca. Por lá, o Museu Náutico foi inaugurado em julho. O espaço reúne raridades, como uma coleção de peças resgatadas do transatlântico espanhol Príncipe de Astúrias, que naufragou na costa do município há mais de 100 anos. A visitação é gratuita, de segunda a quinta-feira, das 10 às 18 horas, e de sexta a domingo, das 10 às 21 horas.

Na Baixada, parte dos fortes passou por restauro e obras no entorno para serem submetidas à candidatura de patrimônio mundial na Unesco. Entre eles, está o Forte São João, em Bertioga, posto militar em que serviu o alemão Hans Staden e cuja construção atual data de 1750. O espaço fica na Avenida Vicente de Carvalho, s/n.

Santos

A cidade também concentra construções históricas preservadas, algumas tombadas pelo Iphan. Entre as que podem ser visitadas, está o Museu do Café, na Rua XV de Novembro, 95, no Centro Histórico, instalado no palácio da antiga bolsa do café, de 1922. O espaço mantém o salão do pregão semelhante à disposição de móveis da época e acervo variado. Há cafeteria e loja no local. Está aberto de terça a sábado, das 9 às 18 horas, e aos domingos, das 10 às 18 horas, com ingresso a R$ 10. Mais informações em museudocafe.org.br/.

No litoral sul, o destaque é Iguape, que está entre os quatro conjuntos urbanos paulistas reconhecidos como “paisagem cultural” pelo Iphan desde 2011. Segundo o instituto federal, o centro histórico reúne a maior quantidade de casario colonial preservada do Estado, em grande parte datado dos séculos 16 a 19. Os imóveis estão concentrados no entorno do Santuário Bom Jesus de Iguape.

Cinema e memória

Há ainda a programação cultural do verão, principalmente de shows com artistas locais e de popularidade nacional. Além disso, há a opção de ir a centros culturais, teatros e cinemas locais. Entre os teatros, estão o do Centro Cultural Raul Cortez, em Mongaguá, o do Complexo Cultural Palácio das Artes, em Praia Grande e o Guarany, em Santos.

Alguns municípios também têm exposições e mostras artísticas, como no Museu de Arte e Cultura de Caraguatatuba (MACC), no litoral norte. Há ainda a opção do cinema. Parte dos municípios do litoral norte tem cinemas em shoppings e de rua, como o Cine Arte Posto 4, em Santos. Igualmente vale conferir a programação dos Sescs de Santos e de Bertioga no site sescsp.org.br.

Pelé

Por fim, uma visita a um local especial nos Casarões do Valongo, onde há um espaço dedicado a Pelé. Lá estão distribuídos troféus, camisas, chuteiras, bolas, vídeos e fotos do Rei do Futebol, que morreu dia 29. Há também cafeteria no local. A visitação é aberta de terça-feira a domingo, de 10h às 18 h, com entrada gratuita, no Largo Marquês de Monte Alegre nº 1. Mais informações em turismosantos.com.br/museupele.