A página inicial está de cara nova Experimentar close button

BBB 21 gera raiva e tristeza em 86% dos brasileiros (e ainda assim tem audiência)

Pesquisa revela quais são os sentimentos presentes na vida dos telespectadores do BBB 21, uma das edições mais polêmicas do reality show

Todos os anos os brasileiros se dividem em dois grupos: aqueles que desprezam o Big Brother Brasil e os que não perdem um dia do reality show. A edição deste ano começou há menos de um mês e já gerou diversas polêmicas, principalmente envolvendo a ‘cultura do cancelamento’. Em pesquisa realizada pela Hibou, empresa de monitoramento de consumo, foram apontados quais sentimentos os telespectadores sentem ao assistir o reality show.

Seu dinheiro está seguro? Aprenda a proteger seu patrimônio

Dos 52% dos brasileiros que estão acompanhando o reality, 86% já sentiram emoções negativas fortes em duas semanas de programa. As mais comuns são os sentimentos de raiva, tristeza, preconceito, humilhação, indignação, nojo, repúdio e falta de empatia.

A pesquisa mediu a presença da cultura do cancelamento no dia a dia dos brasileiros. O significado da expressão "cancelamento" foi reconhecida por 61,8% dos brasileiros e as opiniões variam. Após a explicação do termo para todos os entrevistados, 44% entendem que cancelar não é algo novo, mas o que é novo é o repúdio ao ato por meio das redes sociais.

A pesquisa mostrou ainda que 38% dos brasileiros já sofreram algum tipo de cancelamento em algum momento da vida. Entretanto, mesmo com a indicação de repúdio ao ato, 50,7% das pessoas já ocuparam o papel de "cancelador" contra uma marca ou empresa, 52,7% com artistas ou páginas nas redes sociais e 48,6% com pessoas da sua relação direta.

Ainda nesta semana, momentos antes da festa do programa, Karol Conká disse que acredita que não está sendo cancelada nas redes sociais. “Gente, por quê? Vão me cancelar por quê? Por que eu xinguei a atriz lá [Carla Diaz]? Não tem porque me cancelar. Eu sou o deboche, eu sou assim. Não fiz mal para ninguém”, disse a cantora.

O que merece ser cancelado segundo os brasileiros

Seja na mesa do almoço, no escritório ou em casa, 74,5% dos entrevistados entendem que o ato de cancelar é o mesmo que bullying. Dentre os temas que justificariam essas atitudes, 88,6% acreditam que maus tratos às crianças e aos animais merecem cancelamento, assim como estupro (86,1%), maus tratos a idosos (82,7%), violência doméstica (80,6%), assédio sexual (78,1%) e racismo (75,5%) são atitudes passíveis de cancelamento.

Mas afinal, por que o brasileiro assiste BBB?

Ainda que proporcione sentimentos negativos ao público, o programa proporciona entretenimento. Para metade dos entrevistados, o que chama mais atenção é a possibilidade de bisbilhotar o comportamento das pessoas, a outra parte do grupo se interessa por opiniões e atitudes distintas. 

"Apesar de ser um conteúdo de grande entretenimento, com as últimas polêmicas da casa, consideradas as mais pesadas e complexas de todas as edições, 6,7% dos entrevistados está pensando em parar de assistir ao programa, principalmente, em função da ausência de um clima feliz (51,3%), conteúdo pesado (50,6%), muita discussão boba e pouca diversão (43,8%) e cansaço do assunto de cancelamento (36,9%)", conclui Ligia Mello, sócia da Hibou e coordenadora da pesquisa.

A pesquisa contou com a opinião de 2.467 pessoas, entre 5 e 6 de fevereiro, em território nacional, garantindo 95% de significância e 2% de margem de erro nos dados revelados. 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também