Casual

A alta-costura abre seus braços aos homens em Paris

O indiano Rahul Mishra apresentou homens na passarela pela primeira vez em Paris na segunda-feira, início da Semana de Moda, embora já o tenha feito em seu país de origem

Desfile de alta-costura de Rahul Mishra em Paris (AFP/AFP)

Desfile de alta-costura de Rahul Mishra em Paris (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 5 de julho de 2023 às 16h13.

Última atualização em 5 de julho de 2023 às 16h55.

Terreno quase exclusivo das mulheres até agora, a alta-costura abre espaço para os homens que ousam trocar o smoking preto por plumas, paetês e bordados.

O indiano Rahul Mishra apresentou homens na passarela pela primeira vez em Paris na segunda-feira, início da Semana de Moda, embora já tenha o feito em seu país de origem.

"As jaquetas, os casacos não foram feitos com essa intenção, mas quando chegamos aqui ajustamos para os tamanhos dos meninos e ficaram incríveis", explicou o estilista à AFP.

Os travestis se vestem como mulheres há décadas, mas nesta Semana houve um esforço para incorporar detalhes ao vestuário de um homem cada vez mais metrossexual.

"Cada vez há mais homens que se permitem mais fantasia e sedução. É um retorno à cultura do século 18, quando os homens, os reis e os aristocratas não tinham medo de se exibir", declarou Pierre Alexandre M’Pelé, diretor editorial da revista "GQ France".

Entre as celebridades, atores como Jared Leto, Billy Porter e Timothée Chalamet são símbolos desta tendência.

Desfile de alta-costura Georges Hobeika em Paris. (AFP/AFP)

Fluidez de gênero

O americano Thom Browne e o francês Charles de Vilmorin, que estreiam na Semana, misturaram os gêneros da forma mais natural possível.

"Se outros não o fazem, eu não o farei. Na vida real, há muitos homens que se vestem de alta-costura" declarou Charles de Vilmorin, de 26 anos.

"Amo as pessoas que têm personalidades verdadeiras, que são autênticas", afirma o holandês Ronald van der Kemp, que trabalha com homens em seus desfiles desde que fundou sua casa em 2014.

Sua proposta é uma alta-costura reciclável, com roupas usadas. Seu estilo é exuberante, com looks que invocam a transexualidade.

"A fluidez de gênero tem seu espaço na alta-costura. Chegou o momento", declara o estilista francês Julien Fournié.

Sua contribuição foi colocar na passarela Romain Brau, ator e figura LGBT na França, com tiara na cabeça e crinolina (estrutura rígida para dar volume às saias) na cintura. Já as mulheres tinham uma aparência militar. "Na próxima temporada, talvez coloque mais rapazes heterossexuais", explicou.

"Os homens heterossexuais querem se vestir com alta-costura", garante o estilista.

"Os que têm poder aquisitivo vão a Londres para fazer um smoking. Querem sofisticação, bordados, detalhes em couro gravado", explica Julien Fournié.

É possível pensar em uma Semana de Alta-Costura masculina um dia? "Eu não iria tão longe", pondera Serge Carreira, professor da faculdade de ciências políticas e especialista em mercado de luxo.

"Ainda não chegamos a isto, mas em alguns anos, por que não?", estima Pierre Alexandre M’Pelé.

A casa italiana Dolce & Gabanna já realiza desfiles de "alta-moda" e "alta-alfaiataria" (trajes feitos sob medida) para "os que desejam se destacar e têm meios para isso", explica.

Se não vemos homens vestidos com alta-costura nas ruas "é porque vivem vida muito mais extravagante que a nossa", assegura M'Pelé.

Acompanhe tudo sobre:Desfiles de modaParis (França)Estilistas

Mais de Casual

Oficina Reserva apresenta camisa que se mantém esticada através da temperatura do corpo

Sabor olímpico: Confeitaria Dama cria sabores de mil folhas em homenagem à competição

Os 5 melhores filmes e séries para maratonar no fim de semana

Queijo argentino ganha medalha Super Ouro na ExpoQueijo Brasil; conheça

Mais na Exame