A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Universidades e escolas da Nova Zelândia querem mais brasileiros

Embaixadora da Nova Zelândia no Brasil falou com EXAME.com sobre a feira de estudos que acontece amanhã em São Paulo

São Paulo – No sábado, dia 8, o governo da Nova Zelândia vai realizar pela primeira vez uma feira gratuita em São Paulo para atrair estudantes para o país: a Expo Estude na Nova Zelândia.

A iniciativa é da Education New Zealand, agência estatal neozelandesa responsável pela representação da educação da Nova Zelândia em âmbito internacional. O evento é totalmente grátis mas, é preciso fazer cadastro no site para participar.
Além de quatro universidades do país, estão confirmadas instituições de ensino tecnológico, colégios e também escolas de inglês. Seus representantes vão estar disponíveis para conversas e tiras dúvidas de interessados em estudar no país.

A embaixadora da Nova Zelândia no Brasil Caroline Bikey também estará na feira. “Haverá uma gama de diferentes tipos de experiências educacionais sobre a qual os brasileiros poderão saber mais durante a feira”, disse Caroline a EXAME.com.
Segundo a diplomata, o fato de a Nova Zelândia ter uma população pequena – são 4 milhões de habitantes no país – faz com que o país valorize trocas e conexões com outras nações, para seu bem-estar econômico.

“A Nova Zelândia sempre esteve muito interessada em estabelecer conexões com os outros países e a educação internacional faz parte disso”, diz Caroline, que acredita que intercâmbios culturais estimulam futuras colaborações entre as nações.

Da América Latina, além do Brasil, a Colômbia também tem despertado o interesse das instituições de ensino neozelandesas. Por isso, antes de desembarcar em São Paulo, a Expo Estude na Nova Zelândia passou também por Bogotá.

“É um novo mercado para nós. E estamos planejando abrir uma embaixada em Bogotá, entre o fim deste ano e o começo do próximo. Estamos fortalecendo nossa relação com a Colômbia de várias formas, incluindo educação”, afirma a embaixadora.

Na Nova Zelândia, visto de estudante dá direito a trabalho

A Nova Zelândia permite aos brasileiros com visto de estudante trabalho por até 20 horas semanais para ajudar a custear a estada no país. No site de imigração do governo da Nova Zelândia é possível obter mais informações sobre o visto e seus requisitos.

Outra vantagem oferecida é em relação às mensalidades para PhD (doutorado) que não são mais caras para estudantes internacionais, uma condição única em país de língua inglesa, conforme indicam professores brasileiros que lecionam em universidades da Nova Zelândia, entrevistados por EXAME.com.
SERVIÇO
Expo Estude na Nova Zelândia
Quando: dia 8 de abril, das 14h ás 19h
Onde: Hotel Intercontinental (Alameda Santos,1123)
Inscrições: gratuitas pelo site do evento

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também