A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Junto a aporte, Swap tem nova cultura e vagas de trabalho remoto

A equipe da Swap cresceu 118% em 2021 e a "fábrica de fintechs" tem a expectativa de chegar a 100 funcionários até o final do ano

A startup Swap, conhecida como a “fábrica das fintechs” recebeu um aporte de R$ 135 milhões na rodada de investimentos série A liderada pela Tiger Global. E a expectativa agora é que a equipe, que já cresceu 118% em 2021, chegue ao marco de 100 pessoas até o final do ano.

De acordo com Ury Rappaport, cofundador da empresa junto com Douglas Storf e Alexandre Takinam, serão 40 vagas abertas ainda neste ano.

As posições serão principalmente para tecnologia e produto, mas também terão oportunidades em vendas e operações. Haverá posições para níveis de entrada até cargos com maior senioridade.

A Swap nasceu em 2018 com o objetivo de ajudar outras fintechs e bancos digitais a processar pagamentos com cartões pré-pagos. Hoje, eles também oferecem produtos para benefícios corporativos e crédito.

Rappaport, que é responsável pela liderança da área de Pessoas e Cultura, destaca a importância da estruturação e lançamento do código de cultura durante o rápido crescimento da empresa.

“Percebemos que a cultura é um organismo vivo. Então, de um lado, criamos a cultura e sabemos dizer o que é. Agora não adianta nada se não praticarmos no dia a dia. Nós mapeamos também as tensões culturais e damos autonomia para qualquer pessoa do time propor e implantar soluções”, comenta.

Como exemplo, ele destaca o ritual “Drop the mic”, que foi proposto por um funcionário para abrir espaço para fortalecer relações durante o trabalho remoto.

“Não nos cruzamos no corredor e isso pode mecanizar as relações. Especialmente para os líderes. No ritual, as pessoas se voluntariam para se abrir, contar desafios profissionais, suas histórias de vida e erros”, diz.

Por que focar na cultura desde o início?

Rappaport conta que era uma prioridade trabalhar a cultura da empresa antes da série A de investimento.

“Não existe cedo demais. Tomamos a decisão de fazer isso o quanto antes. Quando chegamos a 35 pessoas, começamos o processo para formalizar a cultura”, conta.

Além de sonho de crescer de forma acelerada, ele explica que a cultura é uma necessidade pelo modelo totalmente remoto de trabalho que permite que os funcionários estejam espalhados por todo o Brasil.

Outro ponto importante: eles queriam evitar o que Rappaport enxerga como as maiores armadilhas para os fundadores.

“Uma armadilha é achar que a cultura da empresa é você como fundador. Isso é um grande problema. E a segunda é sair replicando coisas que viu em outros lugares e ir colocando coisas na parede como se aquilo fosse fazer as pessoas acreditarem no que você quer”, explica.

Para encontrar a cultura da Swap, o projeto de design cultural usou uma metodologia chamada OCAI para fazer um diagnóstico entre os membros da equipe. Assim, eles descobriram que os principais traços da empresa eram a cooperação e criatividade.

Depois, foi criado um squad, grupo multidisciplinar de processos ágeis com representantes de todas as áreas e níveis hierárquicos, para debater os valores, propósito, dinâmicas e rituais da cultura.

“Todo esse trabalho foi lançado nesse mês e o código está super disponível para qualquer um que queria se candidatar”, diz.

O documento está disponível na página de carreiras da empresa, onde também estão listadas as vagas abertas, e dá todas as informações sobre como é trabalho na Swap.

“O documento é o melhor lugar para entender se aqui é o lugar para você”, fala o cofundador.

Dicas de carreira, vagas e muito mais

Você já conhece a newsletter da Exame Academy? Você assina e recebe na sua caixa de entrada as principais notícias da semana sobre carreira e educação, assim como dicas dos nossos jornalistas e especialistas.

Toda terça-feira, leia as notícias mais quentes sobre o mercado de trabalho e fique por dentro das oportunidades em destaque de vagas, estágio, trainee e cursos. Já às quintas-feiras, você ainda pode acompanhar análises aprofundadas e receber conteúdos gratuitos como vídeos, cursos e e-books para ficar por dentro das tendências em carreira no Brasil e no mundo.

Quer receber as dicas de carreiras, vagas de emprego e ficar por dentro das tendências do mercado de trabalho? Assine a newsletter aqui.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também