Itaú é a melhor empresa para começar a carreira no Brasil

O banco conquistou o primeiro lugar na pesquisa As Melhores Empresas para Começar a Carreira, da VOCÊ S/A. Saiba como é trabalhar lá:

São Paulo – Quem caminha pelos corredores da sede do Itaú logo depara com algum bate-papo sobre o desenvolvimento de aplicativos, programas com base em inteligência artificial e sistemas internos que rodam com a computação em nuvem. Ou, ainda, sobre o uso de blockchain, um protocolo que visa aumentar a segurança nas transações virtuais.

São assuntos que estão nas conversas e nas prioridades do banco, que passa por uma transformação tecnológica. Nos últimos dois anos, a instituição aumentou 13 vezes a contratação de profissionais com expertise digital, como especialistas em ciência de dados, cibersegurança, experiência do usuário, web analytics e mídia digital.

Com esse ambiente atualizado, o banco conquistou o primeiro lugar na pesquisa As Melhores Empresas para Começar a Carreira, da VOCÊ S/A, que foi divulgada nesta quarta-feira, 4.

Ao lado de empregados com formação tradicional, como engenharia, economia, contabilidade e administração, esse time ajuda a produzir soluções alinhadas às expectativas e necessidades dos clientes.

Para promover ambientes colaborativos e acelerar a tomada de decisões, desde o início de 2018 mais de 5 000 funcionários passaram a trabalhar em equipes multidisciplinares, chamadas de comunidades de entregas, que ficam alocadas no mesmo espaço durante a realização de determinado projeto.

Para esses grupos, não há mesa fixa. A ideia é favorecer a autonomia, contar com a contribuição de pessoas com diferentes conhecimentos e encurtar o tempo de entrega de resultados.

“Queremos levar o modelo de comunidades a todas as equipes que se encaixem nessa forma de agir e de pensar o negócio”, afirma Sergio Fajerman, diretor executivo de recursos humanos. Essas mudanças significam que a cultura digital traz impacto na rotina não só de quem trabalha com tecnologia. As temáticas ligadas à inovação têm feito parte dos currículos de uma série de cursos de capacitação.

“O que não falta aqui é treinamento, tanto para desenvolver competências técnicas e comportamentais quanto para aprender a enxergar longe”, diz um jovem.

As portas de entrada para o Itaú são diversas — e concorridas. Além do Programa de Jovens Aprendizes, há diferentes modelos de estágio. Um deles é o corporativo, com 2 094 selecionados entre ­59  644­ inscritos em 2017. Outro é o estágio de férias, que acontece duas vezes ao ano. Em julho, 4 426 interessados se inscreveram e 74 participaram; em dezembro, 11 071 candidatos disputaram 108 vagas. Ao todo, o banco efetivou 1 072 estagiários e deu oportunidade de carreira, com estágio ou vaga efetiva, a 925 aprendizes em 2017.

O Trainee do Itaú, programa que dura 12 meses, também é bastante desejado. Não só por ser um dos principais fornecedores de profissionais que compõem o pool de talentos e futuros líderes do banco, mas porque os que se destacam em desempenho, competências e potencial são escolhidos para integrar um pós-programa de carreira acelerada.

Atualmente, 42 ex-trainees, selecionados da turma de 2016, fazem parte desse processo. Eles recebem coaching de desenvolvimento e passam uma semana visitando unidades da instituição no exterior para ampliar a visão global dos negócios. itau.com.br


PONTOS POSITIVOS

As mulheres ocupam 51% dos cargos de gestão no banco. Os jovens orgulham-se da ação “Leia Para Uma Criança”, que distribuiu mais de 3 milhões de livros, inclusive exemplares em braile, em 2017.


PONTOS A MELHORAR

Como ainda existem conflitos de geração, principalmente em relação a gestores que tentam impor autoridade pela força do cargo, caberia abordar essas relações nos treinamentos dados à liderança.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.