Carreira

Oprah e Hillary são mulheres mais admiradas dos EUA

Segundo pesquisa da revista "Newsweek", apresentadora de TV foi escolhida por 25% das americanas como a mulher mais adimirada do país

A apresentadora Oprah Winfrey, líder do ranking (Brendon Thorne/Getty Images)

A apresentadora Oprah Winfrey, líder do ranking (Brendon Thorne/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 7 de março de 2011 às 22h36.

Nova York - A popular apresentadora de televisão Oprah Winfrey é a mulher mais admirada entre as americanas, seguida pela secretária de Estado, Hillary Clinton, segundo revela uma enquete da revista "Newsweek" publicada nesta segunda-feira, véspera do Dia Internacional da Mulher.

A diva da televisão americana, que há dois meses estreou seu próprio canal de televisão a cabo, "OWN", ocupa o topo da lista das mais admiradas entre as mulheres americanas, ao ser escolhida por 25% das entrevistadas.

Em seguida aparece com 17% a democrata Hillary Clinton, que recebe a aprovação de 76% dos americanos em seu desempenho como secretária de Estado, enquanto só 9% desaprova seu trabalho.

A pesquisa revela que a terceira mulher mais admirada dos Estados Unidos é a primeira-dama, Michelle Obama, que recebe 12% dos votos entre as mulheres consultadas, enquanto o posto número quatro é para a ex-secretária de Estado Condoleezza Rice, a primeira afro-americana em conseguir esse cargo, com 10%.

O número cinco é ocupado pela esposa do ex-presidente George W. Bush, Laura Bush, enquanto o sexto lugar é da jornalista Diane Sawyer, que atualmente apresenta o programa "World News" na rede de televisão "ABC".

Acompanhe tudo sobre:CelebridadesEstados Unidos (EUA)Hillary ClintonMulheresOprah WinfreyPaíses ricosPolíticosTelevisãoTV

Mais de Carreira

Veja 6 estratégias essenciais para empreender no Brasil, segundo o treinador Bernardinho

Da roça para Paris: a história inspiradora do atleta “Maranhão” que irá disputar as Olimpíadas

De estilista a presidente: os 4 passos para alcançar o sucesso, segundo a CEO do Grupo Malwee

Arteris investe em educação corporativa para lidar com desafios de diversidade geracional

Mais na Exame