Acompanhe:

O “boom” do ESG: como a sigla tem moldado negócios – e impulsionado carreiras – ao redor do mundo

Além dos evidentes benefícios para o planeta, novo modelo econômico abre um leque de oportunidades para profissionais de diferentes áreas em busca de ascensão e realização profissional – e deve empregar milhares de brasileiros na próxima década; entenda

Modo escuro

 (Getty Images/Getty Images)

(Getty Images/Getty Images)

I
Isabel Rocha

Publicado em 9 de fevereiro de 2023, 09h00.

Comprar produtos de marcas que valorizam a economia circular, priorizar aplicativos que garantem entregas com zero emissão de carbono, consumir de pequenos produtores rurais ou mesmo boicotar empresas envolvidas em escândalos ambientais. Você deve ter percebido que, ao passo em que as mudanças climáticas avançam, estas e outras bandeiras relacionadas ao consumo consciente ganham mais e mais adeptos ao redor do mundo.

Para se ter ideia, segundo uma pesquisa global realizada pelo Institute of Business Value (IBV) em 2021, mais da metade (54%) dos consumidores estaria disposta, inclusive, a pagar um valor mais alto por produtos de marcas ambientalmente responsáveis – ou seja, aquelas comprometidas com a minimização do uso de recursos naturais em seus processos de produção e dos impactos do uso e do descarte de seus produtos. O estudo ouviu mais de 14.000 pessoas em nove países, incluindo o Brasil.

Quer se aprofundar na ascensão da economia verde? Clique aqui.

E a clientela não é a única a pressionar o mercado para a adoção de uma agenda mais verde. Desde 2020, quando a Black Rock (a maior empresa em gestão de ativos no mundo) anunciou que passaria a colocar a sustentabilidade no coração de sua estratégia de investimentos, investidores de todo o mundo também voltaram seus olhares para essa agenda. Não à toa, o patrimônio dos fundos de ações que se enquadram na temática de sustentabilidade e governança corporativa saltou 96% (de R$ 1,03 bilhão para R$ 2,01 bilhões) entre 2008 e março de 2022, segundo dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

Nesse contexto, não demorou muito para que o mercado percebesse a necessidade de se adaptar para que se mantivesse atraente para clientes e acionistas. E foi aí que o ESG (sigla em inglês para as boas práticas ambientais, sociais e de governança) se consolidou como uma das principais tendências globais de negócios.

“As empresas estão sendo cobradas por investidores, colaboradores, clientes e pela sociedade em geral. Não tem como fugir disso”, alerta Renata Faber, diretora de ESG da EXAME e apresentadora da série Carreira na Economia Verdeum treinamento virtual e gratuito sobre o tema voltado para profissionais de diferentes áreas que desejam se atualizar e construir uma carreira mais alinhada às novas necessidades do mercado.

 Economia verde: uma janela de oportunidades

 Mas é claro que a transição para a economia verde representa muito mais do que uma simples vantagem competitiva para as empresas. Além dos evidentes benefícios para o planeta, o novo modelo econômico também trouxe consigo uma grande oportunidade de ascensão e realização para profissionais de diferentes áreas.

Isso porque, dada a crescente importância do tema para os negócios, a busca por profissionais com as chamadas “habilidades verdes” também cresceu em diferentes setores. Veja alguns dados:

  • De acordo com um relatório da consultoria britânica GlobalData, as vagas em ESG, por exemplo, aumentaram 98% entre maio de 2021 e maio de 2022, passando de 531 para 1.049 postos de trabalho no período;
  • Segundo a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a transição para uma economia verde tem potencial para gerar mais de 15 milhões de empregos na América Latina (sendo 7,1 milhões só no Brasil) até 2030;
  • Um relatório recente do Linkedin revelou que a participação de talentos verdes na força de trabalho global saltou 38,5% entre 2015 e 2022

Carreira Verde: aulas gratuitas mostram como ingressar na área que está transformando o mercado. Clique aqui para assistir!

 Isso significa que, desde que estejam dispostos a se aprofundar no assunto, profissionais de diferentes áreas de formação podem encontrar na ascensão do ESG e na consolidação da economia verde uma oportunidade de “enverdecer” seus trabalhos ou mesmo de mudar de carreira, alcançando salários promissores e trabalhando com mais propósito.

Quer saber mais sobre o crescimento da economia verde e todas as oportunidades profissionais existentes na área? Acompanhe a série Carreira na Economia Verde. Os dois primeiros episódios já estão no ar – e são totalmente gratuitos. Clique aqui para assistir!