Carreira
Acompanhe:

Novos vistos de Portugal, Reino Unido e Alemanha: países flexibilizam regras para atrair mão de obra

Lidando com a escassez e mão de obra ou o envelhecimento da população, muitos países criaram vistos para atrair trabalhadores qualificados em 2022. Veja quais foram as principais autorizações criadas em 2022

Viagem: quantidade de brasileiros deixando o país bateu recorde (Peshkova/Thinkstock)

Viagem: quantidade de brasileiros deixando o país bateu recorde (Peshkova/Thinkstock)

L
Luciana Lima

30 de dezembro de 2022, 13h18

Lidando com a escassez de mão de obra ou o envelhecimento da população, muitos países criaram vistos para atrair trabalhadores qualificados em 2022.

Isso soma-se ao fato de que outras tantas nacionalidades criaram vistos para atrair nômades digitais, o que hoje inclui o crescente número de profissionais em home office. O resultado é o cenário em que a quantidade de brasileiros deixando o país bateu recorde.

LEIA TAMBÉM:

Só para os Estados Unidos, que não criou nenhuma flexibilidade, o percentual de brasileiros que emigraram foi 13 vezes maior no ano fiscal de 2022 em comparação com o mesmo período de 2021.

Novo visto do Reino Unido para "high potential"

Em maio, o Reino Unido, anunciou o novo visto 'high potential individual", ou, em tradução livre, indivíduos de alto potencial, que permite que profissionais graduados em universidades de elite solicitem uma permissão para morar e trabalhar no país.

A alteração é signficativa porque, ao contrário dos vistos existentes anteriormente, a nova permissão dispensa a exigência de oferta de emprego de uma empresa no Reino Unido. Para aqueles que tiverem um bacharelado ou doutorado em uma das universidades da lista, o visto tem duração de dois anos. Os aprovados também estarão autorizados a levar o parceiro e filhos menores de 18 anos.

Para se candidatar, os interessados devem ter se formado nos últimos cinco anos em uma das instituições listadas como top 50 em pelo menos dois dos seguintes sistemas de qualificação: Times Higher Education World University Rankings, Quacquarelli Symonds World University Rankings e The Academic Ranking of World Universities.

Mas, como o visto indepente da origem do aluno ou ex-aluno que está aplicando, estimativas apontam que cerca de 14 mil brasileiros poderiam pleitear a autorização britânica. 

Novo visto de trabalho para Portugal

Portugal foi um dos países que mais se movimentaram em direção a flexibilizar a entrada de imigrantes no país. Além de um visto para atrair nômades digitais, o país também aprovou uma lei que criou novas autorizações de trabalho para que fazem parte da CPLP (Comunidades dos Países de Língua Portuguesa) o que inclui, claro, o Brasil.
Em vigor desde agosto, a principal mudança do novo visto é o fato de que ele permite a entrada e residência de profissionais em busca de emprego por 120 dias, com possibilidade de prorrogação de mais 60 dias.

Para obter o visto, além ter como país de origem um dos membros da CPLP, é necessário oferecer atestado de antecedentes criminais e comprovar condições financeiras para permanecer em Portugal até conseguir um emprego. 

Novo visto da Alemanha

Enfrentando envelhecimento da populaçaõ e a escassez de mão de obra, que por ano deixa 20 mil vagas sem profissionais para ocupá-las, em setembro a Alemanha anunciou que está trabalhando em um novo visto para facilitar a entrada de imigrantes em busca de trabalho no país.

A nova autorização, anunciada pelo Ministro Federal do Trabalho da Alemanha, Hubertus Heil, teria como foco imigrantes que não fazem parte da União Europeia e seria baseado em um sistema de pontos.

Batizado de Chancenkarte (ou cartão de oportunidades), estariam elegíveis para aplicar para o novo visto estrangeiros que preenchessem três dos seguintes critérios:
  • Possuir diploma universitário;
  • Ter morado na Alemanha ou possuir conhecimento em alemão;
  • Possuir idade de até 35 anos;
  • Ter, pelo menos, três anos de experiência profissional

Fora isso, os interessados também devem comprovar que possuem renda o suficiente para pagar as despesas durante o período em que estarão no país buscando emprego.

A estimativa, segundo a consultoria de imigração Fragomen, é de que o prazo de permanência para quem conseguir obter o novo visto alemão seja entre seis a doze meses e ele entre em vigor a partir de 2023.

Mas, assim como o novo visto de trabalho português, o novo visto não permitirá que a pessoa more legalmente na Alemanha para sempre. A autorização permitirá a entrada do imigrante em busca de trabalho por um tempo determinado e, provalmente, caso não consiga uma proposta de emprego o indíviduo tenha que voltar ao seu país de origem.