No Facebook, funcionários devem ficar em home office por mais um ano

A exemplo do Google, rede social deve manter empregados em casa pelo menos até julho de 2021

Depois de o Google anunciar a ampliação do trabalho remoto até meados de 2021, o Facebook divulgou sua adesão à medida. Pelo menos até julho do ano que vem, funcionários da rede social deverão trabalhar de casa.

O anúncio ocorre, é claro, no contexto da pandemia do novo coronavírus, que segue infectando pessoas principalmente na Índia, no Brasil, nos EUA e no México, exigindo a manutenção dos protocolos de higiene e segurança.

"Com base nas orientações de especialistas de saúde e do governo, e nas decisões oriundas de nossas discussões internas, vamos autorizar os funcionários a continuar trabalhando de casa voluntariamente até julho de 2021", disse um porta-voz da rede social à agência Reuters.

O trabalho remoto foi implementado na empresa globalmente em março, quando a pandemia se intensificou nas Américas. Antes da ampliação, a medida permitia o home office até dezembro de 2020.

A companhia também afirmou que deve pagar mil dólares adicionais aos funcionários para que possam suprir seus gastos com o home office.

O trabalho remoto e seus perrengues

Trabalhar em casa pode ser bom por diversas razões, mas nem sempre é fácil. Algumas dificuldades do home office foram abordadas no primeiro episódio do Carreiras by exame., nosso recém-lançado podcast. Ouça:

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também