Metaverso será o novo celular: entenda por que e veja como se tornar um dos primeiros especialistas

Tecnologia que une o mundo físico ao digital abre caminhos para a “Era da Imersão”, e faz empresas correrem em busca de profissionais qualificados
Metaverso: tecnologia une o mundo físico ao digital abre caminhos para a “Era da Imersão” (Amparo García / EyeEm/Getty Images)
Metaverso: tecnologia une o mundo físico ao digital abre caminhos para a “Era da Imersão” (Amparo García / EyeEm/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 21/09/2022 às 10:18.

Última atualização em 21/09/2022 às 15:04.

Quando a televisão se popularizou na década de 1950, a maior previsão de supostos especialistas era a de que o novo aparelho substituiria o rádio, meio de comunicação dominante desde 1920. Não foi o que aconteceu. Atualmente, três em cada cinco pessoas escutam rádio em 13 regiões metropolitanas do Brasil, de acordo com uma pesquisa da Kantar Ibope Media. 

O mesmo receio aconteceu com a chegada da internet, entre os anos 1980 e 1990. Para boa parte das pessoas, era óbvio: a web acabaria com a televisão. Hoje, além da população que escuta rádio, o Brasil também conta com 96% de domicílios que possuem uma TV, segundo dados mais atualizados do IBGE. No fim, todo mundo consome todas as mídias. 

A mudança principal — e não prevista — foi a integração entre elas, afinal, é possível ouvir rádio e assistir TV na internet, assim como é normal acessar sites a partir de QR Codes na tela do televisor, por exemplo. Ao longo desses mais de 100 anos, a lição a se aprender com a história é de que os meios de comunicação não só coexistem, mas, principalmente, evoluem. Qual será, então, a próxima evolução?

Clique aqui e saia na frente: veja como se tornar um dos primeiros especialistas em metaverso do Brasil

Metaverso é a nova internet? 

Para quem imaginou que passaríamos anos sem uma tecnologia revolucionária, se enganou: a tendência da vez é o metaverso. O termo surgiu ainda na década de 1990, mas ganhou relevância a nível global quando, no final de 2021, o Facebook alterou o seu nome para “Meta” e se declarou uma empresa de metaverso.  

Seguindo os padrões históricos, a ideia de que ele é a nova internet já se fixou. Mas não é bem assim. Para ser considerado como uma “nova internet”, o metaverso precisaria apresentar um novo padrão de conexão. No entanto, o sistema está muito mais relacionado à capacidade de imersão que oferece aos usuários

Por definição, o metaverso é a junção do mundo físico com o digital. Trata-se de um novo formato de plataforma que serve para criação de aplicativos e ferramentas de interação social. É um ambiente virtual que simula o mundo real, onde as pessoas são representadas por seus avatares. Nada mais é do que um mundo alternativo que os usuários podem acessar através de vários dispositivos e plataformas diferentes. 

Conteúdo gratuito: clique aqui e descubra como usar o metaverso para ganhar mais em sua profissão!

Para que serve o metaverso

Falando assim, é fácil pressupor que o metaverso seja um jogo online em que cada participante tem um avatar. Não deixa de ser verdade, mas apenas parte dela. Essa ideia de que o metaverso é um jogo é muito simplista diante do potencial da tecnologia. 

Baseado em realidade aumentada, virtual e mista, o metaverso apresenta um mundo de possibilidades com foco total na imersão. A tecnologia usa dispositivos e sistemas como óculos de realidade virtual, além de realidades aumentada, mista e virtual para fazer com que os usuários se sintam cada vez mais dentro dos mundos digitais e para que o mundo físico tenha uma interação realística com o virtual. 

Para ficar mais claro, vamos a alguns exemplos. Imagine que você contratou um arquiteto para projetar a sua casa. Na entrega, o profissional te convida a entrar no ambiente vazio e utilizar um óculos de realidade virtual para enxergar todos os móveis e objetos projetados no lugar, exatamente como eles ficarão. 

Na área da saúde, estudantes de medicina podem usar óculos inteligentes para projetar um corpo nas aulas de anatomia e acabar com a necessidade de cadáveres. Mas além das aplicações técnicas, o metaverso será utilizado no nosso dia a dia e vai se tornar tão importante quanto o nosso celular (isso se não substituí-lo). 

Pense no seguinte cenário: utilizando um óculos de realidade aumentada, você encontra alguém na rua e automaticamente já aparecem na sua frente o telefone, o e-mail e o perfil dela nas redes sociais. E antes que você se pergunte como alguém vai usar um óculos de realidade virtual enorme na rua, vale ressaltar que toda a tecnologia está muito no início. 

Ou seja, os óculos atuais podem ser comparados aos computadores que ocupavam uma sala inteira quando a internet surgiu. Esses dispositivos serão muito otimizados até se tornarem um item prático do dia a dia, assim como, com o tempo, o computador virou um pequeno celular em suas mãos. Ou seja, em breve, o metaverso vai mudar o modo como experimentamos o mundo, das compras ao trabalho. 

Dê o primeiro passo para conquistar o seu espaço no metaverso! Clique aqui e conheça a 1ª formação dedicada a preparar profissionais para a maior revolução empresarial e tecnológica do século

Empresas buscam especialistas em metaverso

Parece tudo muito futurístico, mas tudo já está acontecendo e essa é a ambição das grandes empresas que estão investindo muitos bilhões de dólares no metaverso. Para se ter uma ideia, em 2021 o metaverso movimentou US$ 13 bilhões; em 2022, os investimentos já passam dos US$ 120 bilhões.

Segundo os maiores bancos e instituições financeiras do mundo, o mercado do metaverso pode representar uma oportunidade de receita de até US$ 13 trilhões. E não são apenas empresas de tecnologia que apostam na nova tendência. Afinal, não são apenas as bigtechs que usam a internet, a maioria absoluta das empresas fazem uso do sistema.

E é essa mesma lógica que explica porque a busca por profissionais não está limitada ao setor de tecnologia. O metaverso precisa sim de programadores para desenvolvê-lo em sua estrutura, mas as empresas precisam de especialistas que saibam como inserir os negócios nesse novo ambiente. E esse especialista é o Digital Manager

Saia na frente: conheça a série Carreira no Metaverso e se torne o especialista buscado pelas empresas

Como se tornar um digital manager em metaverso  

Entre as funções do Digital Manager estão: pensar em produtos digitais e colocá-los em prática; entender como as tecnologias funcionam e como elas podem se encaixar nas empresas, e entender o que faz sentido a instituição oferecer como experiência de usuário para o cliente no metaverso. 

Por ser uma demanda recente, são poucos os profissionais qualificados para atuar como digital manager. Essa escassez faz com que os salários oferecidos cheguem aos R$ 25 mil, como é possível conferir em plataformas como o Glassdoor. Ainda assim, as empresas sofrem em busca de quem saiba utilizar a tecnologia. 

Carreira no metaverso

E foi pensando nisso que a EXAME decidiu formar os primeiros especialistas em metaverso do Brasil. De olho na crescente relevância do metaverso no mundo corporativo (e na enorme oportunidade que isso representa para empresas e profissionais), a EXAME Academy e o Ibmec, uma das mais tradicionais escolas de negócios do país, desenvolveram o Master em Digital Manager e Metaverso

Em nível de pós-graduação, o curso conta com um grupo docente de peso (composto por profissionais de mercado) e mais de 90 horas de atividades práticas. Saiba mais aqui.

Para que os interessados possam conhecer o conteúdo antes de comprá-lo, as quatro primeiras aulas da formação serão disponibilizadas de maneira 100% gratuita a partir do dia 3 de outubro. O conteúdo será entregue de forma online, e todos que participarem terão direito a um certificado de participação – independentemente de decidirem, ou não, fazer o curso completo. 

Para participar, basta realizar sua inscrição clicando aqui ou no botão abaixo:

QUERO PARTICIPAR DAS 4 AULAS GRATUITAS DO MBA EM DIGITAL MANAGER E METAVERSO DO IBMEC EM PARCERIA COM A EXAME