Larry Fink, da BlackRock: reuniões presenciais voltarão após a pandemia

O CEO da BlackRock, Larry Fink, disse que o que ele mais espera no mundo pós-pandemia é se reunir com os clientes novamente à medida que a campanha de vacinação dos Estados Unidos continua

O CEO da BlackRock, Larry Fink, disse que o que ele mais espera no mundo pós-pandemia é se reunir com os clientes novamente à medida que a campanha de vacinação dos Estados Unidos continua e as empresas avaliam como retornar ao trabalho presencial.

Em carta anual aos acionistas nesta quarta-feira, Fink disse que não há substituto para as reuniões presenciais. Em outra ocasião, o CEO afirmou que teme que a cultura corporativa possa se desgastar com o tempo enquanto o trabalho ocorre de forma remota.

“Sinto falta das conexões pessoais e das ideias inesperadas que surgem ao nos encontrarmos cara a cara e compartilharmos uma refeição”, disse Fink. “Muitas vezes, é por meio de uma conversa menos estruturada do que em uma videochamada que aprendemos mais uns sobre os outros e vivenciamos aspectos intangíveis, como a cultura, que são difíceis de ver através de uma tela.”

Mais de um ano após a pandemia de Covid-19, empresas financeiras globais como a BlackRock estão decidindo como trazer os funcionários de volta ao ambiente de trabalho com segurança.

No ano passado, os executivos da BlackRock sinalizaram que o escritório continuará sendo o local de trabalho principal para os funcionários a longo prazo, e que a permissão para trabalhar remotamente em tempo integral será concedida de forma seletiva.

Veja também: CEO do JPMorgan diz que ‘boom’ nos EUA pode durar até 2023

Outros pontos que Fink mencionou em sua carta anual incluem:

  • Esforços da empresa para melhorar as práticas de diversidade e inclusão, após uma série de questões, foram criados com base na cultura empresarial: “Sei que nossa cultura não é perfeita”, escreveu Fink. “Em alguns casos, certos funcionários não seguiram os padrões da BlackRock. Eu deixei claro para os funcionários que queremos saber quando isso acontecer, e que esses indivíduos não têm um lugar na BlackRock.”
  • BlackRock quer emissões líquidas zero em todos os ativos do sua carteira até 2050. Para tanto, uniu-se a Net Zero Asset Managers Initiative, um grupo focado em reduzir para zero as emissões líquidas de gases de efeito estufa entre as empresas do portfólio.
De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

 

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.