• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Heineken assume compromisso de ter 50% de mulheres na liderança

Empresa reconhece que o setor cervejeiro é predominantemente masculino e que a meta é ousada; compromisso é até 2026
 (VOCÊ RH/Omar Paixão)
(VOCÊ RH/Omar Paixão)
Por Victor SenaPublicado em 17/03/2021 11:48 | Última atualização em 17/03/2021 11:48Tempo de Leitura: 2 min de leitura

O Grupo Heineken Brasil decidiu que as posições de lideranças da empresa deverão ser ocupadas pelo mesmo número de mulheres do que o de homens. Ou seja, há um objetivo de atingir 50% de mulheres nessas posições até 2026.

Os cargos são de supervisão, coordenação, gerência gerência senior, diretoria e C-Level.

Segundo a Heineken, para alcançar esse objetivo, a empresa já trabalha com o desenvolvimento das mulheres que já atuam na companhia, em todas as áreas, por meio de um mapa de sucessão e de um plano de desenvolvimento pessoal que prevê mentorias e treinamentos.

Além disso, o grupo também pretende aumentar a contratação de mulheres. A empresa tem como diretriz buscar 50% de finalistas do gênero feminino nos processos seletivos.

A empresa reconhece também que o setor cervejeiro é predominantemente masculino, e que a meta é ousada, mas que a direção mostra o compromisso do grupo com a igualdade de gênero.

A vice-presidente de Recursos Humanos do grupo, Raquel Zagui, afirma também que é preciso haver uma mudança cultural na empresa que garanta uma real igualdade de gênero. Para isso, foi formado um grupo interno de afinidade com a participação voluntária de colaboradores de todas as áreas.