Há mais tecnologia em uma semente ou num computador? A resposta certa gera mais de 178 mil empregos

Setor que mais cresce no país está se digitalizando e encontra dificuldades na busca por profissionais qualificados
Semente: especialista em agronegócio afirma que, com a digitalização do setor, grãos e outras produções possuem muita tecnologia envolvida (Getty Images/Getty Images)
Semente: especialista em agronegócio afirma que, com a digitalização do setor, grãos e outras produções possuem muita tecnologia envolvida (Getty Images/Getty Images)
D
Da Redação

Publicado em 31/08/2022 às 10:38.

Última atualização em 31/08/2022 às 11:56.

Se você seguiu o caminho mais lógico e respondeu em um computador, errou. Na verdade, essa é uma afirmação do professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), da USP, Mateus Mondin. Em entrevista ao Startagro, o especialista afirmou que “numa semente, há muito mais tecnologia embarcada do que em qualquer equipamento de informática, como smartphones, tablets ou computadores”.

A afirmação de Mondin diz respeito a todos os equipamentos, contas, sensores, algoritmos e processamento de dados envolvidos na produção agrícola. O CEO da Agroadvance e empreendedor do agronegócio, Fernando Reis, reforça a afirmação do professor da Esalq. "Os valores investidos em biotecnologia para produção de sementes melhoradas ultrapassam facilmente as cifras dos bilhões de dólares. E isso gerou ganhos enormes para os produtores e para o meio ambiente. Estima-se que para cada R$1,00 investido pelo produtor em tecnologia, retorna a ele R$1,62", explica. 

O campo está cada vez mais digitalizado e, para viabilizar esse processo, está contratando. Pelo menos, está tentando. Na prática, as empresas do setor estão com dificuldades para encontrar profissionais qualificados e, como resultado, há 5 vagas disponíveis para cada especialista

Clique aqui e veja como se especializar para aproveitar as oportunidades do agronegócio

Mas, para entender como surgiu toda a demanda por profissionais do agronegócio, é preciso entender o papel desse setor, como ele tem passado por uma revolução, por que precisa de tantos profissionais e, por que mesmo pagando, em média, R$ 12 mil por mês, está com dificuldades para encontrar pessoas qualificadas. 

Qual é a importância do agronegócio brasileiro

Apesar de parecer uma pergunta com resposta óbvia, a explicação é mais complexa do que parece. De fato, o agronegócio é amplamente conhecido como um dos principais setores da economia brasileira. Sozinho, ele foi responsável por um terço de toda a riqueza produzida no país em 2021 e empregou mais de 20 milhões de pessoas, segundo a Esalq. Na prática, significa que um em cada 4 trabalhadores brasileiros atua direta ou indiretamente no setor. 

Mas, além disso, o agro também é responsável pela produção de alimentos destinada à mesa dos brasileiros e de várias outras nações. De acordo com um estudo da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), o Brasil é responsável por cerca de 10% da produção mundial de trigo, soja, milho, cevada, arroz e carne bovina. Essas commodities são a base para a produção de muitos outros alimentos, além de serem usados na alimentação de animais na agropecuária. 

Aproveite as vagas no setor que mais cresce na economia brasileira e que busca profissionais qualificados para contratação imediata

A digitalização do agronegócio

A agricultura é uma das mais antigas atividades do homem e foi o que permitiu a sua fixação em um local, promovendo o desenvolvimento de comunidades que se expandiram até a formação de nações. Como uma operação tão antiga, a agricultura passou por muitas evoluções de técnicas e modelos de produção. Mas esse processo não acabou. 

Atualmente, o agronegócio brasileiro está se digitalizando e inserindo cada vez mais soluções baseadas na tecnologia e na inovação para resolver problemas do campo, como a finitude do espaço de cultivo em contraponto ao crescimento da população mundial. 

Robôs contadores de laranjas, fazendas rosas e verticais, produção de “vespas inseticidas” e microorganismos para substituir agrotóxicos já são uma realidade na produção do campo brasileiro. 

Como resultado, o investimento em agritechs bateu recordes. No Brasil, as startups do agronegócio receberam mais de R$ 40 milhões nos primeiros 3 meses deste ano; nos Estados Unidos, esse mercado em crescimento está mais maduro e já recebeu um total de US$ 5 bilhões em investimentos.

Agronegócio está cada vez mais digital e busca profissionais para ajudar na revolução do setor; clique aqui e veja como se especializar

Agronegócio busca profissionais

Com as mudanças na produção agropecuária, as empresas do setor estão em busca de profissionais que saibam usar a inovação e a tecnologia para resolver os problemas do agro e otimizar a produção ao mesmo tempo que reduz o impacto ambiental. Hoje, são necessários muitos outros profissionais além de agrônomos e veterinários para explorar o potencial do agro brasileiro. 

Por isso, a busca por pessoas especializadas no setor tem crescido. Uma pesquisa realizada pela Agência Alemã de Cooperação Internacional em parceria com o Senai e com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul mostrou que nos próximos dois anos, carreiras ligadas ao agronegócio devem gerar mais de 178 mil vagas de emprego

Mas o levantamento também apontou que a previsão é de que só haja cerca de 32,5 mil profissionais qualificados para essas vagas. Ou seja, há cinco vagas em aberto para cada profissional qualificado hoje, e o mercado precisa de mais especialistas em agronegócio. 

E é exatamente essa necessidade que faz os salários ofertados ultrapassarem os dois dígitos. Segundo o Glassdoor, plataforma que reúne vagas de emprego e permite que funcionários informem seus salários e benefícios de forma anônima, o salário médio nacional de um gestor em agronegócio é de aproximadamente R$ 12 mil por mês. Mas em uma pesquisa rápida no site é possível encontrar relatos de uma remuneração que alcança os R$ 26 mil. 

Agronegócio busca profissionais para ajudar a tornar o setor mais sustentável; veja requisitos e saiba como se especializar

Como se especializar no agronegócio

Apesar de a imagem construída sobre o trabalho no agronegócio levar a pessoas no campo, hoje, as melhores oportunidades de trabalho no setor estão na implementação de projetos digitais, uma atividade que geralmente é exercida de dentro de um escritório, e sem precisar sair das cidades ou se mudar para o campo. Esse profissional é chamado de Agro Digital Manager e é responsável pela implementação de projetos digitais em propriedades agrícolas. 

As principais atribuições desse profissional são identificar e mapear os problemas do campo e coordenar times em busca da solução para necessidades de produtores agrícolas e de todos os stakeholders do agronegócio. Também não é exigida uma formação específica em agronomia ou outras profissões diretamente ligadas à produção no campo. 

Com o objetivo de ajudar a formar mais profissionais para suprir a demanda do setor, a EXAME preparou a masterclass gratuita Carreira em Digital Agribusiness. Para participar basta se inscrever clicando aqui. Programada para acontecer dia 5/9 às 19h30, a masterclass vai revelar:

  • como a revolução tecnológica do agronegócio brasileiro está fazendo surgir inúmeras possibilidades de fazer carreira em profissões que eram inexistentes até pouco tempo atrás;
  • como planejar uma carreira de sucesso no Digital Agro e ter remuneração que pode passar dos R$ 12 mil por mês;
  • como aproveitar as oportunidades no setor mesmo sem ter um formação em veterinária, agronomia ou outras áreas relacionadas; 
  • qual a melhor forma para fazer a transição de carreira e começar a faturar com o agronegócio brasileiro sem precisar se mudar para o campo. 
  • A aula será ministrada por Francisco Jardim é sócio-fundador da SP Ventures, uma das gestoras de Venture Capital mais tradicionais do país especializada no agronegócio. Desde 2007, a gestora investe em startups de tecnologia para o agronegócio, as chamadas agritechs.

Saiba como aproveitar as oportunidades no agronegócio que pagam mais de R$ 12 mil para trabalhar de qualquer cidade do Brasil. Participe da masterclass Carreira em Agribusiness  

Veja Também: