Carreira

"À partir de” ou “a partir de”? Saiba como usar a crase corretamente

Entender bem o uso da crase pode evitar erros gramaticas básicos que podem custar uma vaga

 (Maica/Getty Images)

(Maica/Getty Images)

Publicado em 26 de junho de 2024 às 15h58.

Última atualização em 27 de junho de 2024 às 10h38.

O uso correto da crase é uma das dúvidas mais comuns entre da língua portuguesa. Uma das perguntas frequentes é se devemos usar "à partir de" ou "a partir de". Entender as regras da crase pode evitar erros gramaticais e melhorar a clareza de sua escrita. A seguir, explicamos como usar a crase corretamente nesse e em outros contextos.

A crase e suas regras

A crase é a fusão de duas vogais idênticas, ocorrendo principalmente quando a preposição "a" encontra o artigo definido feminino "a". Essa combinação é representada pelo acento grave (à). No entanto, a crase não ocorre diante de todas as palavras femininas ou em todas as situações onde a preposição "a" aparece.

“A partir de”: sem crase

No caso específico da expressão "a partir de", não usamos a crase. Isso ocorre porque a preposição "a" não é seguida de um artigo feminino "a", mas sim de um verbo (partir). Portanto, não há fusão de vogais, e a crase é desnecessária.

Exemplos:

  • O evento começa a partir das 18h.
  • A promoção é válida a partir de amanhã.

Outros casos comuns de uso da crase

Enquanto “a partir de” não leva crase, há muitas situações em que a crase é obrigatória. Vamos revisar alguns dos casos mais comuns para ajudar a esclarecer quando utilizá-la.

Diante de palavras femininas específicas: Usamos a crase quando a preposição "a" é seguida de um artigo definido feminino "a".

Exemplos:

  • Fui à festa (a + a festa).
  • Vou à escola todos os dias (a + a escola).

Em expressões que indicam tempo: A crase é usada em expressões que indicam horas específicas ou períodos do dia, desde que se trate de palavras femininas.

Exemplos:

  • Chegarei à uma hora.
  • O encontro será à tarde.

Em locuções prepositivas, conjuntivas e adverbiais femininas: Essas expressões geralmente exigem o uso da crase.

Exemplos:

  • Ela chegou à medida que os convidados saíam.
  • Fez tudo à força.

Exceções e cuidados especiais

Há alguns casos em que a crase é proibida ou opcional, dependendo do contexto.

Uso facultativo:

Pronome possessivo adjetivo (aquele que acompanha um substantivo): Nessa situação, o uso do artigo é facultativo, ou seja, você poderá optar por usá-lo ou não.

Exemplos:

  • Não obedeço a sua coordenadora. (com preposição a, mas sem o artigo a)
  • Não obedeço à sua coordenadora. (com a preposição a e com o artigo a)

Aqui estão algumas situações em que a crase não deve ser usada:

Antes de palavras masculinas: Nunca usamos crase antes de palavras masculinas.

Exemplos:

  • Vou a pé (a + pé, que é masculino).
  • Ele foi a Roma (Roma é uma cidade masculina no contexto, sem necessidade de artigo).

Antes de verbos: Não se usa crase antes de verbos.

Exemplos:

  • Começou a estudar cedo.
  • Vou a partir de agora.

Antes de pronomes pessoais, demonstrativos e indefinidos: Pronomes como "ela", "aquele", "algum" não aceitam crase.

Exemplos:

  • Diga isso a ela.
  • Falei a aquele homem.
Acompanhe tudo sobre:Dicas de Portuguêsentrevistas-de-empregoDicas de carreiraGuia de Carreira

Mais de Carreira

Por que o processo de contratação está mais difícil do que nunca?

7 frases que você deve evitar se quiser ter sucesso em um negócio franquado

Últimas vagas: pré-MBA em finanças corporativas começa nesta 2ª feira; veja como assistir

Veja 6 estratégias essenciais para empreender no Brasil, segundo o treinador Bernardinho

Mais na Exame